18 C
Criciúma
segunda-feira, maio 20, 2024

Desassoreamento do Rio Sangão tem etapa liberada

A ordem de serviço foi entregue na noite de ontem, no Centro Comunitário do bairro Cidade Alta

Forquilhinha
Alexandra Cavaler
cidades@tnsul.com

A segunda etapa do desassoreamento do Rio Sangão, trecho que compreende o município de Forquilhinha, teve a ordem de serviço assinada e entregue na noite de ontem. O ato oficial aconteceu no Centro Comunitário do bairro Cidade Alta.

Desenvolvimento

Segundo o prefeito de Forquilhinha, José Cláudio Gonçalves, o Neguinho, esse é mais um importante passo em busca do desenvolvimento da cidade. “Serão aproximadamente R$ 3,5 milhões, dos quais R$ 500 mil são provenientes de recursos próprios, da nossa economia; e o restante do Governo do Estado. Desta forma, essa segunda etapa vai completar o valor de R$ 8,8 milhões da primeira. E do valor total, R$ 2 milhões são de recursos próprios do Governo de Forquilhinha”, assinalou. A extensão completa do desassoreamento soma 8,8 quilômetros.

Neguinho ainda salienta que o Rio Sangão passa nos municípios de Criciúma, Forquilhinha e Maracajá, mas todo o processo é realizado, até o momento pelo Governo forquilhinhense. “Todos esses aportes, todos os projetos, todas as tratativas foram realizadas pelo Governo de Forquilhinha. A obra está sendo realizada com escavadeira anfíbia, e dos 8,8 quilômetros que nós vamos realizar, entre a primeira e a segunda etapa, já foram efetuados aproximadamente três quilômetros. Inclusive, de um total de 300 mil metros cúbicos, já foram tirados em torno 100 mil metros cúbicos. E a lâmina do rio fica com 2 metros, o que dá uma grande vazão”.

Escavadeira anfíbia

O prefeito ainda acrescenta: “Essa escavadeira anfíbia flutua dentro do rio com eficiência e eficácia muito grande e já está resolvendo os problemas de cheias nos bairros Cidade Alta e Sangão e vai, durante todo esse percurso de 8,8 quilômetros, resolver também a situação de cheias nos bairros Ouro Negro, Nova York e Linha São José, em Forquilhinha; e em alguns outros bairros de Criciúma e Maracajá”, concluiu.

Bota-foras

Os materiais retirados do rio estão sendo depositados em bota-foras licenciados pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA). E está previsto a recuperação ambiental e reflorestamento da área onde houve interferência.

Cerca de 300 pneus achados

O processo de desassoreamento do Rio Sangão, que visa a melhoria do fluxo hídrico e a prevenção de enchentes na região, tem sido um empreendimento de grande importância para a comunidade. De acordo com Fernando Alves de Souza, responsável pela supervisão do projeto, a máquina empregada já enfrentou desafios ao longo do percurso. Um deles foi o grande número de pneus encontrados no leito do rio. “Embora não tenha sido possível contar precisamente, estima-se que cerca de 300 pneus foram removidos durante o desassoreamento, destacando a importância não apenas da remoção do sedimento, mas também da limpeza e preservação do meio ambiente”.

Leia mais matérias completas na edição desta quarta-feira, dia 17, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Últimas