17.3 C
Criciúma
segunda-feira, junho 17, 2024

Grevistas realizam ato nesta terça-feira, em Florianópolis

Trabalhadores em educação estarão mobilizados durante a tarde em frente ao Centro Administrativo do Governo

Florianópolis/Criciúma
Paulo Paixão
cidades@tnsul.com

A terça-feira, dia 30, deverá ser um divisor de águas dentro do movimento de greve dos professores da rede estadual de ensino. Essa é a avaliação do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte), Evandro Accadrolli. “Já percebemos que o movimento cresceu, principalmente depois das declarações do governador. O movimento deu um salto e amanhã (hoje) é um divisor de águas”, comentou Accadrolli.

É nesta terça-feira que o Sinte realiza uma mobilização, a partir das 14h, em frente ao Centro Administrativo do Governo do Estado. Além de fazer as reivindicações da categoria, o ato também servirá para mostrar a insatisfação contra as palavras do governador Jorginho Mello, durante um vídeo divulgado na noite do último domingo. “Nós estamos numa crescente no movimento de mobilização. Agora também tem uma revolta da categoria, que já estava indignada pela falta de valorização e a ausência de uma proposta do Governo do Estado e no pronunciamento no domingo do governador ameaçando a categoria, ele (Jorginho Mello) radicalizou”, disse o presidente do sindicato. Evandro afirma que os trabalhadores da educação estão perplexos com a postura do Executivo estadual. “Os trabalhadores da educação estão indignados com a postura do Governo. O esforço que ele deveria estar fazendo seria na apresentação de uma proposta, mas ele optou por um enfrentamento radicalizado à categoria. Uma categoria que também faz parte da base do próprio apoio do Governo do Estado, e ele está deixando todos os trabalhadores descontentes, criando uma tentativa de colocar sociedade contra os trabalhadores da educação”, continuou.

RESPONSABILIDADE

O representante sindical também implica a responsabilidade da paralisação ao Governo de Jorginho Mello, que tem a obrigação de apresentar uma proposta para que os professores voltem às salas de aula. “Nós entendemos que o responsável pela greve é o governo, e o governo tem um compromisso, agora, de apresentar uma proposta, seja ela na linha do concurso público, quando vai fazer e quando vai chamar. O governo do estado de Santa Catarina não cumpre”, avaliou o presidente.

Falas de Jorginho Mello não agradaram

Um vídeo do governador Jorginho Mello, divulgado em suas redes sociais no domingo à noite, desagradou o Sinte e a categoria dos profissionais em educação. Nele, Jorginho Mello fez referências aos grevistas, que poderão ser punidos com desconto salarial em folha.

De acordo com o governador, “para garantir o direito de todos os estudantes acessarem a sala de aula, estamos tomando duas medidas: primeiro, determinei que a Secretaria de Educação desconte as faltas dos professores grevistas. Segundo, vamos contratar imediatamente professores temporários para manter as salas de aula funcionando”, indicou.

Leia mais matérias completas na edição desta terça e quarta-feira, 30 e 1°, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Últimas