Balneabilidade aponta 61% dos pontos analisados próprios no Estado

O IMA analisa as águas de cada balneário e determina se os locais estão contaminados ou não por esgotos domésticos


- PUBLICIDADE -

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) divulga nesta sexta-feira, 14, o relatório de balneabilidade nº 6 da temporada de verão. A pesquisa referente às coletas realizadas de 10 a 14 de janeiro, aponta que dos 231 pontos analisados 141 estão próprios para banho no estado, o que representa 61,0%. Em Florianópolis, dos 87 pontos onde há coleta, 60 estão em condições de receber banhistas, ou seja, 69,0%.

O diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental do IMA, Fábio Castagna da Silva explica que muitos fatores tornam a água não balneável: “As fortes chuvas que ocorrem no verão alteram, significativamente, a qualidade da água, pois levam a sujeira de ruas e galerias de água ao mar. As ligações de esgoto clandestinas e o aumento da quantidade de pessoas que visitam os balneários neste período, também são fatores que acabam sobrecarregando os sistemas de tratamento de efluentes, o que afeta diretamente nos resultados das pesquisas”, analisa Fábio.

- PUBLICIDADE -

As coletas são efetuadas em 27 municípios litorâneos, em mais de 100 praias e balneários do sul ao norte, compondo os seguintes municípios: Araranguá, Bal. Arroio do Silva, Bal. Gaivota, Bal. Camboriú, Bal. Barra do Sul, Bal. Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Gov. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Balneário Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

Sobre o relatório

O IMA analisa as águas de cada balneário e determina se os locais estão contaminados ou não por esgotos domésticos. A existência de esgoto é verificada por meio da contagem da bactéria Escherichia Coli cujo habitat primário é o trato gastrintestinal de humanos e outros animais de sangue quente.

Para que um balneário seja considerado impróprio para banho é necessário que em mais de 20% das amostras coletadas nas cinco semanas anteriores a quantidade dessa bactéria seja superior a 800 por 100 mililitros ou se, na última coleta, o resultado for superior a 2000 Escherichia Coli por 100 ml.

Para que um ponto volte a ser considerado balneável, a quantidade de Escherichia Coli deve estar abaixo de 800 por 100 ml em 80% ou mais das coletas nas cinco semanas seguintes.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.