Especial Nova Veneza: economia robusta, diversificada e atraente

Nova Veneza tornou-se o sonho de consumo para empresários montarem suas produções

Foto: Arquivo/TN
- PUBLICIDADE -

Gustavo Milioli

Nova Veneza

- PUBLICIDADE -

Nova Veneza tem mais gente trabalhando na cidade do que habitantes. A pequena cidade de 15.342 moradores conta com grandes empresas e indústrias em seu interior. Os segmentos que mais se destacam são os de frigoríficos, confecções e metalmecânico, onde marcas de renome nacional e até internacional mantém suas produções.

Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) baseados no mês de abril, Nova Veneza teve um saldo positivo de 45 novas contratações. Esta é a tônica do município, que mesmo em um período de pandemia, assegurou a posição de destaque na geração de empregos na região.

Afinal, o que faz a cidade ser tão atrativa a grandes investidores? Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Nova Veneza, Ricardo Locks, existe uma ‘mística’ por trás do lugar. “O que eu falo sempre para quem vem à Nova Veneza, é que um produto fabricado aqui, se vende sozinho pela marca da cidade. O nome de Nova Veneza é muito forte. Aquilo que é produzido aqui, já leva esse diferencial. O que também atrai empresas para cá é a questão do turismo. Quando uma confecção quer se instalar aqui, ela quer aproveitar os ônibus de turismo para vender aos visitantes”, coloca.

Não por acaso, existe uma fila de espera de empresas interessadas em instalarem-se em território neoveneziano. O poder público trabalha para poder comportá-las em seu parque industrial, visto que muitos terrenos já cedidos ainda não foram utilizados.

“A prefeitura fez vários incentivos econômicos nos últimos 10 anos, só que isso estava muito espalhado entre as secretarias do município. O que estamos fazendo hoje é juntar todas essas informações dos incentivos feitos e verificar quem utilizou, quem não utilizou. Estamos chamando uma por uma dessas empresas e estamos conversando para ver quem vai continuar e quem não quer. Tem seis empresas com vontade de vir para Nova Veneza, e nós temos áreas de terra que foram cedidas e ainda não foram utilizadas. Se não vão ser utilizadas, se a empresa não irá usar esse incentivo, vamos repassá-lo a quem vai”, destaca o Locks.

Crescimento

O secretário acredita que a pandemia pode ter influenciado no planejamento destas empresas, mas, por outro lado, ele lembra que algumas delas até cresceram de tamanho nos últimos dois anos. “Queremos entender a situação de cada uma, para darmos o fim necessário”, pontua.

O ‘trio de ferro’ de setores que mais movimentam a economia da cidade, composto pelas indústrias frigoríficas, de confecções e metalmecânica, passou por caminhos diferentes durante a pandemia. “A indústria têxtil vinha em segundo lugar e agora caiu para terceiro, os impactos foram bem sentidos no segmento deles. Os ramos metalmecânico e de frigoríficos, por outro lado, cresceram bastante na pandemia”, explica Locks.

O comércio de Nova Veneza registrou um crescimento de 6% em 2020, mesmo com as dificuldades impostas pela crise sanitária, demonstrando a solidez do setor. Como ocorreu em todo o Brasil, a atividade agropecuária teve o maior aumento de faturamento no município, com aproximadamente 30% a mais em relação ao ano anterior.

“Uma pela alta do arroz, a nossa principal cultura, e outra pelo aumento da área plantada nas comunidades rurais. Os plantios de milho e soja também estão se destacando”, informa.

Futuro

O secretário planeja, até o final do atual mandato, implementar a Casa do Empreendedor de Nova Veneza, para auxiliar empresários com intenção de realizar o cadastro de novos CNPJs no município. “Eu vejo que as empresas têm dificuldade na abertura, porque precisam passar por vários locais. Devem ir ao Corpo de Bombeiros, Tributação, Planejamento, contador… Queremos montar esse setor que possibilite ir a um lugar só, trazer todos os documentos e dali a própria prefeitura dar o andamento”, projeta.

Usina termelétrica a gás

Em breve, um novo empreendimento deve fomentar ainda mais a geração de renda em Nova Veneza. Segundo Locks, recentemente um grupo de empresários do Rio Grande do Sul esteve na cidade e manifestou o desejo de construir uma usina termelétrica a gás natural. “Não temos usinas de energia na região. Já achamos um terreno para eles, estamos em contato com a cooperativa, onde eles irão entregar a energia para depois ser distribuída. Tem tudo para nos próximos anos essa usina já estar em atividade”, antecipa.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.