20 C
Criciúma
segunda-feira, maio 20, 2024

Drama nas filas do Hospital Santa Catarina continua

Alguns pais ficaram mais de quatro horas no aguardo de um atendimento médico para o filho

Criciúma
Edson Padoin
cidades@tnsul.com

O pronto-socorro infantil do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (HMISC), em Criciúma, segue enfrentando um alto volume de pacientes na fila aguardando por atendimento. Na tarde de ontem, a equipe de reportagem esteve no local e constatou que pelo menos 30 crianças aguardavam por assistência médica.

O pai de uma criança residente em Siderópolis, que preferiu não se identificar, expressou sua angústia. “Eu e minha esposa estamos há mais de quatro horas aguardando um atendimento para nossa filha de 10 meses. Ela apresentou um quadro de diarreia e tosse e piorou durante essa noite. Viemos até aqui para verificar a situação. Apesar disso, estamos há quatro horas esperando, sem nenhum atendimento. É muito complicado e é a primeira vez que passamos por algo assim. Nos sentimos inúteis”, destacou.

Frequente

Outra mãe salientou que a espera na fila é comum no hospital. “Estamos esperando por um atendimento faz duas horas. Meu bebê tem cinco meses e ele está vomitando muito, por isso estamos buscando o atendimento. A situação está precária em Criciúma, várias vezes passamos por isso, de ficar muito tempo na fila. Tem dia que é rápido e tem dia que é devagar.”

Um pai de outra criança expressou sua frustração. “O que parece é que tem muita criança para pouco profissional, essa é a única explicação. Estou aqui há três horas e não recebemos atendimento.”

A assessoria de imprensa do hospital afirmou que: “A direção do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina informa que a unidade está dentro do limite proposto no protocolo de acolhimento que prevê para urgência até uma hora de espera, pouco urgente até duas horas e nada urgente até quatro horas de espera.”

Situação foi discutida na Câmara

As preocupações com as filas de espera não são novas. No final de março, as filas no hospital foram tema de uma sessão da Câmara de Vereadores de Criciúma. Na ocasião, participou o diretor-geral do HMISC, César Augusto de Magalhães, que destacou a importância de conscientizar a população sobre procurar o hospital somente em situações de urgência e emergência, além de buscar recursos para ampliar a capacidade de atendimento do hospital.

Durante a sessão na câmara de vereadores, o diretor da unidade revelou que o hospital realiza cinco mil atendimentos no pronto-socorro infantil por mês.

Leia mais matérias completas na edição desta quarta-feira, dia 17, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Últimas