20.2 C
Criciúma
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Conheça 5 mitos e verdades sobre a economia de combustível no carro

Durante o período entre o Natal e o Ano-Novo, as viagens se tornam mais frequentes

Durante o período entre o Natal e o Ano-Novo, as viagens se tornam mais frequentes, assim como as buscas por dicas para economizar gasolina, etanol ou diesel. No entanto, há muitos mitos em torno das práticas para economizar combustível, quando a verdade é simples: a chave para economizar está em “dirigir com prudência, antecipar frenagens e acelerar gradualmente, mantendo as marchas mais altas” para controlar o consumo.

Elaboramos um guia que desmente os 5 mitos mais comuns sobre economia de combustível, válido para gasolina, etanol e diesel.

1. Gasolina aditivada rende mais

Esse é um grande mito. A gasolina aditivada contém apenas compostos detergentes que auxiliam na manutenção da limpeza do sistema de injeção eletrônica do veículo. Entretanto, é compreensível que esse mito exista, uma vez que um motor sujo pode resultar em um consumo maior de combustível. A limpeza contínua do motor por meio do uso de gasolina aditivada pode restaurar seu desempenho original, criando a impressão de maior economia de combustível e autonomia.

É importante ressaltar que mesmo a gasolina premium não proporciona economia de combustível. Esse tipo de gasolina é destinado a motores de alto desempenho e geralmente possui uma composição com 25% de etanol (enquanto a gasolina comum e a aditivada contêm 27% de etanol).

2. Calibrar pneu ajuda a economizar

É verdade que manter a calibragem correta nos pneus ajuda a evitar rodar com uma pressão muito baixa, o que, por sua vez, aumenta o atrito entre o pneu e o solo. Isso resulta em uma redução do ponto de contato da banda de rodagem com o asfalto, permitindo uma economia de combustível. No entanto, é essencial não exagerar na pressão, pois um pneu excessivamente cheio pode comprometer a estabilidade do veículo, pondo em risco a segurança.

O ideal é verificar o manual do carro para saber a pressão recomendada e calibrar os pneus apenas com essa pressão correta. Embora seja verdade que manter os pneus mais cheios reduz o atrito com o solo, isso pode comprometer tanto a segurança quanto a vida útil dos pneus.

3. Deixar em ponto morto economiza combustível

Mito. Além de ser uma prática perigosa, o ato de colocar o carro em ponto morto durante a descida não resulta em redução de consumo de combustível. Isso ocorre porque, quando o veículo está engrenado, o sistema interpreta que está descendo uma ladeira e, portanto, não necessita de grande esforço, desativando a injeção de combustível no motor. Por outro lado, quando se põe o carro em ponto morto durante a descida ou em trechos de leve declive, essa injeção não é cortada.

Ao manter o carro engrenado, o mais indicado é utilizar o freio motor, preferencialmente em marchas mais altas, para controlar a inércia do veículo.

4. Óleo “grosso” economiza combustível e protege o motor

Esse é um grande mito, que, além de antigo, é prejudicial ao veículo. O tipo de lubrificante utilizado deve ser o recomendado pelo fabricante, e atualmente, a maioria dos veículos prefere o uso de óleo sintético ou semi-sintético.

O mito que circunda a utilização de óleo mais viscoso está relacionado à ideia de que ele oferece melhor proteção e reduz o atrito no motor, o que, na realidade, é um equívoco. Na verdade, um óleo menos viscoso permite que o motor opere com menos restrições, proporcionando melhora no consumo de combustível.

5. Manter o tanque com mais de 1/4 do combustível ajuda a economizar

Este é um mito, mas circular sempre na reserva pode prejudicar o tanque de combustível, já que isso aumenta a carga de trabalho da bomba de gasolina ou etanol. Não é aconselhável encher completamente o tanque do veículo até a capacidade máxima, pois isso pode danificar o cânister, um filtro projetado para receber apenas os vapores do combustível.

Ao abastecer, é recomendável orientar o frentista a parar quando a bomba emitir o clique, mostrando que o tanque está cheio. Independentemente da quantidade de combustível, o consumo é determinado por uma direção cuidadosa, a escolha de um produto de qualidade e a manutenção adequada do veículo.

AUTOS CARROS | Marcos Camargo Jr.

*Via R7

Últimas