28.7 C
Criciúma
sábado, fevereiro 24, 2024

Instituto Florir Brasil retoma atividades em homenagem à Tati Teixeira

Clara Teixeira Ferreira, filha da saudosa fundadora, assume o cargo de presidente de honra e segue com a missão da mãe

Criciúma
Alexandra Cavaler
cidades@tnsul.com

O Instituto Florir Brasil celebrou, nesta segunda-feira, dia 4, um marco em sua história com a retomada das atividades. O evento realizado na sede da Cruz Vermelha de Criciúma, e que coincidiu com a véspera do Dia Internacional do Voluntariado, reuniu voluntários, líderes comunitários e convidados especiais. Na ocasião, Clara Teixeira Ferreira, filha da fundadora do Instituto (Tati Teixeira), assumiu o cargo de presidente de honra.

Iniciativas sociais

De acordo o pai de Clara, e novo presidente do Instituto, Daniel Ferreira, a participação da adolescente simboliza a continuidade do compromisso do Instituto com as futuras gerações “e a importância de envolver a juventude em iniciativas sociais”. O Instituto Florir Brasil reafirma seu compromisso de ser um agente de mudança positiva na comunidade, promovendo o voluntariado e capacitando indivíduos para fazer a diferença em suas vidas e na vida dos outros”, enfatizou Ferreira. “A refundação do Instituto é mais que uma reafirmação de nossa missão; é um renascimento, uma oportunidade de florescermos juntos em uma nova era de impacto social”, emendou a presidente de honra.

Conheça a história

O Instituto foi fundado por Tati Teixeira em 2017 e funcionou até 2020. Neste período os envolvidos realizaram um festival da criança no bairro Tereza Cristina, com o apoio da Ferrovia Tereza Cristina, que foi o maior ato em seu tempo de atuação, segundo o novo presidente. “Em paralelo, foram promovidos pequenos eventos, treinamento, cursos para a comunidade voltados à economia doméstica, foram discutidas algumas ações sociais, bem como colaborou com algumas delas. Estávamos há quase três anos desabilitados, mas agora fomos motivados pelas causas sociais e o voluntariado sempre presente na vida de Tati”.

O Instituto nasceu com o objetivo de captar, qualificar, formar e preparar voluntários. Segundo Daniel, a refundação era um desejo. “Com a ausência da Tati nós, em homenagem a ela e ao desejo dela, refundamos o Instituto que tem como objetivo de captar voluntários, treinar voluntários, e isso por meio do apoio da Cruz Vermelha, do Almir Fernandes e de tantos outros. Por enquanto estaremos ocupando o espaço da Cruz Vermelha e da Vida Ativa quando necessário, mas o nosso objetivo é que daqui a um ano, a um ano e meio, tenhamos uma sede própria”, revelou Ferreira, acrescentado que no futuro pretende mudar o nome do Instituto para Tati Teixeira.

A proposta, a partir de agora e durante um ano, será a realização de seminários específicos para trabalhar treinamento, envolvimento, engajamento e qualificação.

Leia mais matérias completas na edição desta quarta-feira, dia 6, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Últimas