Vento forte, granizo e raios deixam estragos no Rio Grande do Sul

Temporal deixou um desaparecido e causou destelhamentos nesta segunda-feira, 15

Foto: Fabiano do Amaral/ Via Correio do Povo

- PUBLICIDADE -

O temporal da noite desta segunda-feira deixou um desaparecido e causou estragos no Rio Grande do Sul. Diversos pontos do Estado registraram granizo, raios e ventos fortes. As rajadas chegaram a 120 km/h em Canoas, onde houve destelhamentos em casas e prédios.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Em Porto Alegre, um homem desapareceu no bairro São José. Defesa Civil, Brigada Militar e Corpo de Bombeiros trabalhavam na rua da Represa, em busca de um homem de 45 anos.

Na Capital, equipes de manejo arbóreo da Secretaria de Serviços Urbanos precisaram desobstruir diversas vias. Houve árvores e postes caídos em muitos pontos. O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) registrou a interrupção de duas estações por falta de energia, mas que já retomaram a operação.

A Grande Porto Alegre também registrou temporal de granizo. A MetSul já havia feito o alerta de tempestade, com direito a frequência intensa de raios.

A precipitação congelada durou alguns minutos, mas foi o suficiente para causar transtornos em diversos bairros. Houve relatos de pedras em locais como Centro, Azenha, Cidade Baixa, Humaitá, Menino Deus e Jardim Botânico. No Menino Deus, houve muitos pontos com alagamentos após o temporal.

A MetSul informou registro de granizo de tamanho médio em outras cidades. A célula de tempestade causou transtornos em cidades como São Jerônimo, Charqueadas e Rio Pardo.

O temporal também afetou o serviço de abastecimento de energia elétrica no Estado. As concessionária RGE e CEEE Equatorial confirmaram, na noite desta segunda-feira, que 338 mil clientes das empresas chegaram a ficar sem energia elétrica em razão do temporal com granizo e vento forte que atingiu as áreas atendidas. A falta de luz se concentrou, especialmente, em cidades da região Metropolitana.

Região Metropolitana e Litoral Norte

A tempestade que atingiu Porto Alegre na noite desta segunda-feira também causou transtornos e estragos na Região Metropolitana. Em algumas cidades houve queda de granizo, deixando telhados danificados. A força dos ventos também derrubou árvores e postes. Gravataí anunciou a suspensão das aulas nesta terça, na rede municipal.

Em Canoas, a queda de granizo foi registrada principalmente nos bairros Mathias Velho e Mato Grande. Houve ventania, ocasionando destelhamento de casas. A cobertura de um estabelecimento caiu próxima ao Consulado do Inter na cidade.

O município, aliás, foi um dos mais fortemente atingidos. Ventos de até 120 km/h foram registrados na cidade da Região Metropolitana.

O Park Shopping Canoas teve sua estrutura danificada. De acordo com uma funcionária de um hipermercado, houve problemas no terceiro andar, na praça de alimentação. O telhado e uma das entradas do estabelecimento foram afetados.

O Hospital Nossa Senhora das Graças teve a estrutura prejudicada. Por volta das 21h a prefeitura emitiu comunicado recomendando que a população evitasse ir ao local. Na mesma região, galhos de árvores caíram sobre diversos carros que estavam em um estacionamento de um condomínio residencial.

Postes tombaram em pontos da BR 116 e da BR 448 e chegaram a interditar as pistas. No quilômetro 13 da Rodovia do Parque, um caminhão tombou e duas pessoas ficaram feridas. A concessionária da rovodia informou por volta das 21h que o trânsito estava interrompido no trecho.

Em Cachoeirinha, a ventania causou a queda de postes de árvores em alguns pontos, como na Estrada do Ritter. Também houve destelhamentos de alguns imóveis, entre eles uma academia e uma loja. Em Viamão, pedras de gelo caíram nos bairros Jari e Augusta. Em Alvorada, uma casa foi destelhada na rua Sebastião Leão, no bairro Stella Maris, e uma equipe da Defesa Civil foi deslocada para auxiliar com a colocação de lona.

Cidades do Litoral Norte também foram atingidas. Em Tramandaí, houve registro de vento forte. Em maio, a cidade já havia sido atingida pelo ciclone Yakecan. Na ocasião, o hospital sofreu com destelhamento.

*Via Correio do Povo

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.