Torcedores do Boca Juniors são presos por racismo e injúria

Dois imitaram macacos e um fez saudação nazista

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli/Direitos Reservados

- PUBLICIDADE -

Três torcedores do time do Boca Juniors, da Argentina, foram presos na noite de ontem, 28, após o jogo em que a equipe empatou – 0x0 – com o Corinthians, na Neo Química Arena, em Itaquera. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, dois deles foram presos por injúria racial e outro por racismo.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Durante a partida, válida pelas oitavas de final da Copa Libertadores, dois torcedores foram filmados imitando macaco. O terceiro foi flagrado fazendo uma saudação nazista.

Em suas redes sociais, o Corinthians se manifestou sobre os atos dos torcedores. “Esses comportamentos não serão tolerados”, escreveu o clube. “Fiel à sua história de luta, o Corinthians procederá novamente às queixas cabíveis, o que faremos sempre, até que não seja mais necessário”, acrescentou.

Fiança

Segundo a equipe brasileira, foi aplicada fiança para a liberação dos dois torcedores enquadrados por injúria racial. A Secretaria de Segurança não informou se os torcedores pagaram a fiança.

Os três torcedores foram levados para a 6ª Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), onde o caso foi registrado. De acordo com a secretaria, eles se encontram agora na carceragem do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), à disposição da Justiça.

Corinthians e Boca Juniors fizeram ontem a primeira partida das oitavas da Libertadores. As duas equipes voltam a se enfrentar no dia 5 de julho, na Argentina.

*Via Agência Brasil

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.