Câmara de Urussanga vota cassação de Cancelier nesta segunda

Sessão está marcada para as 9 horas e todos os outros trabalhos do dia foram suspensos

Foto: Olon Soares/Divulgação

- PUBLICIDADE -

José Adílio
Urussanga

A Comissão de Investigação e Processante e Processante referente ao processo que pede a cassação do prefeito Luiz Gustavo Cancelier será realizada hoje, às 9 horas. Como a sessão não tem tempo determinado para o fim dos trabalhos, o presidente da Câmara de Vereadores Elson Roberto Ramos, o Beto Cabeludo, determinou a suspensão de todos os trabalhos doo dia como a reunião das Comissões Permanentes, que foram transferidas para amanhã. Poderão participar da sessão de hoje apenas as pessoas diretamente envolvidas nos trabalhos relativos ao processo de cassação do prefeito. Também a sessão ordinária marcada para o dia 17 de maio foi transferida para o dia 18.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

A sessão para a realização da Comissão de Investigação Processante está marcada para hoje porque está vencendo o prazo dos trabalhos de investigação. Para que haja a cassação, serão necessários dois terços dos votos, ou seja, seis dos nove vereadores terão que votar favorável. Caso consiga escapar da cassação na Câmara de Vereadores, o prefeito Luiz Gustavo Cancelier tem julgamento marcado na Justiça no próximo dia 19 de maio, quando será julgado se ele voltará a comandar Urussanga, ou se será afastado em definitivamente. Está no comando de Urussanga desde o mês de maio de 2021, o vice-prefeito Jair Nandi.

O prefeito de Urussanga, Luiz Gustavo Cancelier foi afastado do cargo no dia 20 de maio de 2021, após operação da Polícia Federal, denominada Operação Benedetta, que investiga suspeita de má aplicação e desvios de recursos públicos em contrato da Prefeitura de Urussanga com a Caixa Econômica Federal. Na ocasião, mais dois servidores foram afastados. A investigação teve diversos desdobramento, inclusive com o afastamento de três vereadores, sendo que dois já estão no cargo e o terceiro, também no cargo está com Comissão de Investigação Processante em andamento.

De acordo com o advogado Alessandro Abreu, a Sessão de Câmara de hoje que julgará a cassação do prefeito vai anteceder o julgamento na Justiça que está marcada para o dia 19 de maio, quinta-feira. Neste julgamento, o juiz decidirá se o prefeito Luiz Gustavo Cancelier volte ao cargo ou se será afastado em definitivo. “Os vereadores têm que fazer este julgamento na Câmara pelo prazo da CIP está se esgotando nesta data”, explica o advogado. Na investigação realizada pelo Polícia Federal, em maio do ano passado, uma pata com R$ 80 mil foi encontrada na casa de um dos suspeitos.

Liminar suspende processo de vereador

A Comissão de Investigação e Processante do vereador Rosemar Sebastião, o Taliano (PDT) seria realizada na sexta-feira (13), mas devido ao pedido de vista do vereador Odivaldo Bonetti (PP), integrante da Comissão Processante foi transferida para domingo. Novamente a sessão foi suspensa devido a uma Liminar conseguida na justiça pela defesa do vereador pelo Comissão não respeitar o prazo de 48 horas do pedido de vistas.

Segundo o advogado de defesa do vereador Ros0emar Sebastião, o Taliano, Alessandro Abreu, o presidente da Comissão Processante Ademir Bononi (MDB) e o presidente da Câmara de Vereadores Elson Roberto Ramos (MDB, não obedeceram ao prazo de 48 horas do pedido de vistas e por isso marcaram nova sessão para domingo, com a justiça acatando pedido de suspensão com mandado de segurança e transferindo novamente a sessão.

Abreu explica para que a Comissão de Investigação Processante venha marcar nova sessão, primeiro terá que fazer uma reunião para avaliar o pedido de vistas do vereador Odivaldo Bonetti, e depois de 24 horas vir a marcar novamente uma nova sessão. O advogado também confirmou que entrou com denúncia no Ministério Público contra os dois presidentes por acelerarem o julgamento do vereador Taliano por interesse político partidária e não com interesse público.

Já o advogado Pierre Vanderlinde, que representa a Câmara de Vereadores alega que o pedido de vistas tem prazo de 48 horas e não especifica se são dias uteis ou não, então avalia que a marcação da sessão para domingo estaria dentro da normalidade. Ele agora vai acompanhar o prazo judicial determinado na liminar.

Antecipação

O advogado Alessandro de Abre alega que os vereadores tentaram antecipar de todas as formas a cassação do vereador Rosemar Sebastião (PDT) para ele não estar na sessão desta segunda-feira que votará a cassação do prefeito Luiz Gustavo Cancelier. A alegação é de que o suplente que assumiria seria favorável à cassação do prefeito, diferente da posição do vereador Taliano.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.