Projeto prevê que teste do pezinho possa detectar até 53 doenças;entenda

Medida modifica o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) para incluir no rol do teste do pezinho doenças como distrofia muscular

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado/ND

- PUBLICIDADE -

O Senado aprovou nesta quinta-feira, 25, o PL (Projeto de Lei) que amplia o alcance do teste do pezinho (triagem neonatal).

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O projeto modifica o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) para incluir no rol do teste do pezinho doenças como distrofias musculares e enfermidades neuromusculares. O texto segue para a Câmara. As informações são da Agência Senado.

Atualmente, a triagem neonatal oferecida pelo SUS é capaz de detectar seis doenças: fenilcetonúria; hipotireoidismo congênito; doenças falciformes e outras hemoglobinopatias; fibrose cística; hiperplasia adrenal congênita; e deficiência de biotinidase.

Com a versão ampliada, o teste poderá detectar até 53 doenças, inclusive enfermidades consideradas raras e que só podem ser descobertas após exames na rede particular de saúde.

Exame obrigatório

O teste do pezinho é obrigatório e gratuito. Segundo o Ministério da Saúde, a triagem neonatal, também conhecido como teste do pezinho, é um exame que deve ser realizado em todos os recém-nascidos, normalmente a partir do terceiro dia de vida.

O teste ajuda a diagnosticar algumas doenças genéticas e metabólicas. Dessa forma, caso seja identificada alguma alteração, o tratamento pode ser iniciado logo em seguida, de forma a evitar complicações e promover a qualidade de vida da criança.

*Via ND Mais

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.