Outubro Rosa: autocuidado e prevenção são aliados da saúde

Mês é dedicado à conscientização sobre os cânceres de mama e de colo do útero

Foto: Lucas Colombo/ Arquivo TN

- PUBLICIDADE -

 Içara

Todas as atenções neste mês se voltam para o combate ao câncer de mama e, mais recentemente, o de colo do útero. A campanha Outubro Rosa visa promover a conscientização e alertar sobre a importância do autocuidado e do diagnóstico precoce.  Na região, voluntários fazem parte de entidades que buscam orientar e acolher mulheres que estão em tratamento ou que já passaram por ele.

- PUBLICIDADE -

“O Outubro Rosa é realmente para divulgação e conscientização das mulheres sobre a importância dos exames preventivos. Então, todo o mês é dedicado ao alerta para as mulheres não esquecerem que precisam fazer o processo anualmente. A gente vai fazer várias ações, como caminhadas e mobilização junto a outras entidades”, comenta a presidente voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Içara, Albertina Niehues.

A instituição promove ações durante todo o mês, que visam o acesso à informação sobre a doença. “Sempre tem aquela frase ‘mulher que se ama, se cuida’. E nós, da Rede Feminina, somos todas voluntárias e estamos trabalhando em função do alerta, para ajudar e minimizar um pouco do sofrimento das mulheres que passam por essa doença tão triste. O pouco que a gente faz, já ajuda”, acrescenta Albertina.

Entre os principais sinais e sintomas suspeitos de câncer de mama estão: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

Por isso, é necessário que as mulheres estejam atentas aos sinais do corpo. Exames regulares também ajudam no diagnóstico. Em Içara, a Rede Feminina atua em parceria com a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), uma instituição que buscam reduzir os índices de mortalidade pela doença. Neste ano, a entidade promove a campanha #perguntapraela – que traz três questionamentos capazes de salvar vidas, são eles: “Você já fez sua mamografia esse ano?”, “Você tem controlado seu peso?” e “Você tem feito atividade física regularmente”.

A doença em números

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Brasil, foram estimados 66.280 novos casos de câncer de mama em 2021, com um risco aproximado de 61,61 a cada 100 mil mulheres. Em Santa Catarina, no ano passado, foram registrados 660 óbitos em decorrência da doença. Em 2021, até o dia 24 de setembro, 429 mortes foram confirmadas através do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM).

Já com relação ao câncer de colo do útero, foram 205 vítimas da doença no ano passado e, neste ano, até o dia 24 de setembro, foram 143 registros.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.