Criciumense lança livro desmistificando o mal das gorduras saturadas

Doutor em Ciência dos Alimentos, Rubison Olivo realizou um estudo com mais de 550 referências científicas. Obra foi produzida em conjunto com o renomado médico Lair Ribeiro

- PUBLICIDADE -

Nós passamos grande parte da vida escutando que as gorduras saturadas são verdadeiras vilãs para a alimentação. Essa narrativa levou o criciumense Rubison Olivo, doutor em Ciência dos Alimentos, a escrever o livro ‘Rompendo o paradigma das gorduras saturadas e do colesterol’, com co-autoria do consagrado médico Lair Ribeiro. A obra teve um período de três anos para ser concluída e compreende mais de 550 referências científicas sobre o tema, visando desmistificar um dos conceitos mais propagados sobre a nutrição.

O ponto de partida de Olivo é mostrar que o colesterol não é um inimigo dos seres humanos, e sim um aliado. De acordo com o pesquisador, as gorduras são dividias em dois grupos: as boas e as ruins. Para uma alimentação ser balanceada, é imprescindível consumir uma quantidade razoável de gordura todos os dias, presente em alimentos como carnes, ovos, nozes e abacate.

- PUBLICIDADE -

“O objetivo do livro é quebrar o mito das gorduras e que o colesterol é inimigo da saúde. Se estabeleceu isso nas últimas seis décadas e tem se perpetuado dessa forma, mas o que se observa nas pessoas é um efeito contrário. Os índices de crescimento das doenças cardio-metabólicas tem crescido bastante. A partir do momento em que se substituíram as gorduras saudáveis por carboidratos, que nada mais são do que açúcares e farinhas, os problemas aumentaram”, detalha o bioquímico.

Olivo realizou uma remontagem da história da evolução humana, que teve início há seis milhões de anos. O homem só se tornou inteligente quando passou a se alimentar de proteínas animais, além do vegetal. “Depois de começar a consumir carne, o cérebro humano, que era de 200 gramas, saltou para 600 gramas e logo chegou em 900 gramas. Foi quando surgiu o homo erectus, que começou a andar em pé. E hoje, o homo sapiens sapiens tem 1,6 quilo de peso de cérebro, que representa 2% do corpo e concede ao ser humano a inteligência”, explica.

A reserva energética do corpo humano é composta por gordura. É como se fosse um tanque a ser abastecido antes de ser iniciada uma viagem. “É preciso ter uma reserva energética. O nosso primeiro tanque é a barriga, por isso que a maioria das pessoas tem barriga. Nas últimas seis décadas se trocou o contexto, se pregou a retirada das gorduras, e isso fez com que todos ficassem mais gordos. Até 1960, todo mundo era magrinho. Agora, a maioria das pessoas está acima do peso”, aponta ele, que já atuou como professor da Universidade de São Paulo (USP).

Ele lembra-se de uma foto clássica de Criciúma que confirma o fenômeno da mudança de peso da população a partir da segunda metade do século passado. “É a foto a inauguração da estação ferroviária, acredito que nos anos 50. Se você ver aquela foto, ou outras fotos da mesma época, todas as pessoas eram magrinhas. Hoje, a percepção é contrária. Está entrando muito combustível”, destaca. No Brasil, 55% das pessoas já estão acima do peso. Nos Estados Unidos, esse número ultrapassa a casa dos 70%.

Olivo também chama a atenção para a importância do consumo de gorduras saudáveis, de origem natural. “Em 1973 quiseram proibir os ovos por serem os causadores do colesterol alto. Hoje, o ovo está sendo idolatrado. Se culpa o colesterol, mas podemos fazer uma analogia com um incêndio. Lá estará o bombeiro para ajudar. Seria como se alguém culpasse os bombeiros pela propagação das chamas. Quando o colesterol está alto, é porque se está com perda da sua normalidade funcional. O colesterol aumenta porque ele está lá para socorrer, para arrumar algo ruim que esteja acontecendo no organismo”, afirma.

O livro de 287 páginas está à venda na livraria Fátima, em Criciúma, e também na internet, pelo preço de R$ 100, através do número de WhatsApp 48 9.8481-9613.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.