Criciúma: postos de combustíveis já registram filas

Falta de gasolina nas bombas não está descartada, por conta da alta demanda e da possível falta de reabastecimento junto às distribuidoras

Érik Borges / TN Sul

- PUBLICIDADE -

Érik Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Os postos de combustíveis da região já registram filas de veículos. Por volta das 21h, em Criciúma, por exemplo, foi possível presenciar os automóveis enfileirados, com os condutores aguardando a vez pelo abastecimento. Em um dos postos, na Avenida Centenário, no bairro Próspera, os veículos já estavam enfileirados ocupando parte da calçada da avenida. Nesse posto, dezenas de automóveis formavam três filas simultâneas.

Já em um posto próximo à Via Rápida, também em Criciúma, um dos funcionários que preferiu não se identificar relatou que caso esse ritmo de demanda se mantenha, a gasolina deve se esgotar ainda nesta quinta-feira, dia 9. Isso porque, segundo ele, o estoque não é grande por conta da alta rotatividade do dia a dia.

Ele relata que, além de os estoques não serem altos, também há o problema de desabastecimento na reposição do combustível. Isso porque, com os bloqueios realizados nas rodovias, impedindo a passagem de caminhões (inclusive de distribuidoras de gasolina), a reposição do combustível nas bombas fica comprometida.

Antes do fechamento desta edição, o proprietário de postos de combustíveis em Criciúma e Maracajá, Luiz Orlando Simon informou que a gasolina já estava chegando ao fim nas bombas. “Está acabando”, pontuou Simon, por volta das 22h30.

Justiça Federal proíbe obstrução de vias

A Justiça Federal de Santa Catarina proibiu os caminhoneiros de trancarem rodovias federais no Estado. De acordo com duas decisões proferidas, a Justiça determina que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) remova os veículos que estiverem obstruindo as rodovias federais.

Quem obstruir a BR-101 pode ser punido por crime de desobediência e ter que pagar R$ 50 mil por dia.

Sindipetro solicita escolta para transporte de combustíveis

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro), Luiz Antônio Amin se pronunciou sobre a situação atual do cenário que se encaminha para um desabastecimento. Ele conta que, tendo em vista a paralisação dos caminhoneiros que está afetando o tráfego de veículos de carga em todo o território catarinense, assim como impedindo o acesso às bases de distribuição, o Sindipetro ajuizou, perante a Justiça Federal, um pedido cautelar para garantir a circulação dos caminhões-tanque com combustíveis, assim como a liberação da entrada e saída destes veículos nas bases de abastecimento do Estado.

“Foi requerida também, escolta policial para garantir que os veículos possam transitar pelas rodovias sem intercorrências e garantir o abastecimento que é atividade essencial e de interesse público. Estamos acompanhando o trâmite e, tão logo tenhamos posicionamento da Justiça acerca do pedido liminar, informaremos a revenda através dos nossos canais”, finaliza Amin.

Érik Borges / TN Sul
Érik Borges / TN Sul

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.