Centro de Controle de Zoonoses de Criciúma completa dez anos

Órgão realiza monitoramento de animais que podem oferecer riscos aos humanos

Foto: Reprodução/Internet
- PUBLICIDADE -

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Criciúma é responsável pelo desenvolvimento e execução de estratégias de vigilância, prevenção e controle de doenças transmitidas por animais às pessoas. Inaugurado em em 2011, o CCZ completa dez anos de serviços prestados à cidade, porém enganos quanto às atribuições do centro ainda são comuns.

“Quando ocorre a identificação de bichos peçonhentos em algum lugar fazemos uma busca. Alguns meses depois de fazer a varredura e instruir os proprietários, voltamos para checar se há reincidência”, explica Simone Cristina da Cruz, coordenadora do CCZ. “Por vezes a população ainda nos confunde com um local de abrigo para animais abandonados, mas na realidade somos um setor de investigação”, complementou.

- PUBLICIDADE -

De acordo com a coordenadora, o órgão auxilia também no desalojamento de morcegos de residências e, ao encontrar um animal morto, o recolhe para realizar testes laboratoriais e identificar a causa. Além disso a médica veterinária do CCZ faz a aplicação da vacina da raiva.

Uma das medidas para evitar doenças como dengue e febre amarela é impedir a proliferação dos chamados “vetores”. Esses animais, que nos casos citados são os mosquitos Aedes aegypti, “transportam” o causador da patologia. O CCZ monta armadilhas para os vetores, orienta a não deixar água parada em vasos ou pneus e manter piscinas limpas. Tratando-se de escorpiões, deve-se organizar o terreno e não acumular tijolos, telhas ou madeiras.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.