Tigre: Baier valoriza os ajustes na parada técnica

Sem começar bem a partida diante do Oeste, comandante carvoeiro usa a pausa para hidratação para consertar os problemas e encaminhar o time para a vitória

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Foto: Celso da Luz/CEC

O técnico Paulo Baier usou o calor a favor para encaminhar o Tigre à vitória diante do Oeste, no início da tarde deste domingo. Após um começo disperso e lento, o Criciúma abriu o placar após os ajustes do treinador na pausa determinada para a arbitragem devido à alta temperatura. “Tivemos dificuldade até os 20 minutos. Na parada corrigi algumas coisas. O início foi um pouco ruim, nós estávamos marcando longe e sem encaixar no adversário. A parada foi ótima, tanto que ajustamos e fizemos o gol, que deu mais tranqüilidade e ajustamos. Diminuimos a marcação, em relação ao adversário. O resultado foi bom”, explica Baier, em entrevista coletiva, após a partida.

O comandante destacou que havia alertado os atletas, durante toda a semana, para a importência da partida. Mesmo assim, o time entrou em campo desconcentrado. “Entramos um pouquinho dispersos, mas, na parada, corrigimos, acertamos. Principalmente o (Dudu) Vieira, Arilson e Dudu (Figueiredo) para encaixar cada um no seu e então voltamos a ter o controle do jogo. Estão de parabéns os jogadores. Um sol muito forte e não é fácil, mas o nosso objetivo, hoje, era muito claro: somar os três pontos. Independente de jogar bem ou mal”, ressalta Baier.

O calor, entretanto, não foi usado como desculpa para o baixo desempenho ofensivo, apesar da vitória por 3 a 0. “Atrapalha para os dois lados. Não da para dar desculpa. Procuramos fazer as cinco substituições para dar rodagem a todos: Minho, Warley e Eduardo – que já vem entrando. O Pedro (Rosa), eu coloquei porque o Helder tinha amarelo e o árbitro deu a entender que poderia expulsar, então evitamos. Tiramos o Arilson porque tinha amarelo e estava 2 a 0. A leitura que a gente tem que fazer, do lado de fora, é essa. Conseguimos fazer um grande resultado. O Criciúma, há pouco tempo, não ganhava e agora são oito vitórias na Série C. Isso mostra que o trabalho está sendo bem realizado e estamos no caminho certo”, comenta Baier.

O próprio treinador admitiu que, tecnicamente, não foi um grande jogo do Criciúma, mas valorizou a vitória conquistado. “Não fizemos um grande jogo, mas teve as oportunidades e fez os gols. Isso que importa. O importante hoje era somar três pontos. Eu estava meio receoso, porque você pega o último colocado, você tem que trabalhar muito mais o psicológico dos atletas do que a parte tática. Então, isso mostrou para eles, hoje, que eu estava certo. Estou desde terça-feira batendo que não seria jogo fácil porque o Oeste é lanterna. Não tem jogo fácil, principalmente no nosso grupo. É tudo muito difícil. O Figueirense ganhou e embolou de novo. Então, tem que valorizar muito o resultado de hoje: fazer 26 pontos. Estou muito feliz e satisfeito pelo resultado que obtivemos hoje”, diz.

Indignação com o gol sofrido nos acréscimos

Baier mostrou indignação, contudo, com o gol sofrido ao final da partida e deu entender que aumentará o tom da cobrança aos jogadores. “Ainda precisamos corrigir algumas coisas, o futebol  sério, não dá para brincar. Tava 3 a 0 e teve um descuido nosso. Eu vou cobrar esse gol que tomamos, vai ter que ser cobrado, porque com 3 a 0, você não pode tomar o gol. Daqui a pouco, ta 2 a 1, que é o pior resultado, toma o gol. Ou ta 2 a 0 e toma o gol, vira um inferno. Então, vai ser corrigido, vai ser cobrado, porque realmente, não gostei da desatenção no gol do Oeste. Vamos corrigir isso”, enfatiza Baier.

O treinador já projeta o desafio de sexta-feira, fora de casa, contra o Novorizontino. “Agora é ter tranqüilidade, temos um jogo, na sexta-feira, contra um adversário direto, que é o Novorizontino, com uma viagem longa: chega em São Paulo e tem mais cinco horas de ônibus. Agora é o momento de dar os parabéns, valorizar o trabalho que a gente vem fazendo e voltar amanhã. Focar no Novorizontino, treinar e estudar um esquema tático para ver como vamos nos comportar fora de casa”, comenta.

Baier não garante que o sistema tático será o mesmo utilizado contra o Ypiranga, na vitória fora de casa. “Talvez, sim, talvez, não. Vamos ver. Amanhã teremos uma análise melhor dos jogadores para ver quem estará inteiro para o jogo. É ter tranqüilidade, cabeça e ambiente bons. Estamos em um ambiente ótimo e estamos todos no mesmo caminho. Isso é importante para que o Criciúma siga em frente”, finaliza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.