9.2 C
Criciúma
quinta-feira, maio 30, 2024

Gritaria e manifestação na Casa Legislativa de Orleans

Orleans

A Sessão da Câmara de Vereadores de Orleans, realizada na noite desta segunda-feira, dia 6, precisou ser suspensa por alguns minutos após manifestações na Casa Legislativa. Isso porque, o debate sobre o reajuste remuneratório dos servidores ativos, inativos e pensionistas do município causou repercussão durante o encontro.

O uso da Tribuna foi negado, em votação, à presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Orleans (Sintramor), por seis votos contra e quatro a favor. “Acho uma injustiça não ter concedido a palavra para que as pessoas pudessem explicar melhor o projeto e tirar algumas dúvidas. Infelizmente, temos que aceitar aquilo que está sendo imposto”, lamenta o vereador Osvaldo Cruzetta. “É a primeira vez, na história dessa Casa, que eu vejo negar o uso da Tribuna. Está sendo rasgado o regimento dessa Casa pela maioria absoluta, encontrando aqui uma ditadura, não querendo ouvir a palavra dos funcionários”, completa.

“Me parece que o desprezo é total quanto à posição dos servidores público do nosso município. Eu digo isso, porque a gente procurou buscar um caminho de entendimento, ouvir as pessoas que representam o sindicato através de uma comissão e, infelizmente, o projeto foi modificado quando veio para cá e está aí, os funcionários decepcionados com o que está acontecendo nesta Casa”, acrescenta o vereador.

A Sessão, portanto, foi suspensa por alguns minutos em virtude das manifestações dos servidores públicos que estavam na Casa Legislativa. “É quebra de decoro parlamentar incentivar manifestações dos públicos aqui, indo contra o regimento interno que nós mesmos votamos”, comenta a presidente da Câmara de Vereadores de Orleans, Mirele Debiasi.

O Projeto de Lei dispõe sobre o reajuste remuneratório e à revisão geral anual da remuneração de todos os servidores públicos ativos, inativos e pensionistas, da administração pública direta, autárquica (samae), fundações (famor), conselho tutelar, cargos comissionados, secretários municipais e magistério público municipal e dá outras providências.

 

Últimas