11.1 C
Criciúma
terça-feira, junho 25, 2024

Anel Viário de Criciúma será integralmente estadualizado

Criciúma

Em tratativas para ser integralmente de responsabilidade do Estado, o Anel Viário de Criciúma ainda aguarda a conclusão do último trecho, que fica entre a rodovia Sebastião Toledo dos Santos, no bairro Vila Zuleima, e a Avenida Luiz Lazzarin, no Rio Maina. São pouco mais de dois quilômetros que precisam de pavimentação há pelo menos três décadas.

Atualmente, alguns trechos são de responsabilidade do município de Criciúma. Com a estadualização do Anel Viário, as manutenções e melhorias serão de incumbência do Governo de Santa Catarina. O processo burocrático é lento, mas já está sendo providenciado pela Secretaria de Infraestrutura.

“Hoje, o Anel Viário, em nenhum dos seus segmentos existentes, pertence ao Estado de Santa Catarina. Manutenção, legislação e alteração sobre os trechos não é do Estado. Alguns são da prefeitura de Criciúma e um pequeno é do Governo de Içara. Só tem um trecho que não tem definição ainda de a quem pertence”, explica o coordenador Regional Sul da Secretaria de Infraestrutura, Gustavo Taufembach.

Entretanto, não há prazo estipulado, ainda, para a estadualização se concretizar. “É uma conversa que iniciou recentemente, mas todas as movimentações já estão acontecendo para que ocorra. A situação de interesse é do município e também do Estado para que o Anel Viário fosse integralmente estadualizado e todas as rodovias que estão internas ao trecho passassem a ser de responsabilidade dos municípios a qual estão inseridas”, acrescenta Taufembach.

As estratégias após a responsabilidade integral ser efetivada serão ainda traçadas pelo Estado. “Não há nenhum plano, nenhum planejamento já, assim, macro. Mas sim, a questão de manutenção. Alguns trechos que merecem sinalização, roçadas e podas de árvores que hoje se encontram abandonados ou sem o devido cuidado. Isso, a gente pretende retomar. Mas não há nenhum plano ainda em desenvolvimento, e sim, pegar e fazer a manutenção adequada de fato e ter uma legislação mais clara sobre qual trecho pertence a determinada entidade, seja município ou Estado”, afirma o gerente Regional Sul.

Quanto à finalização da última etapa do Anel Viário, segundo Taufembach, “ainda não há nada concreto, definido. A última atualização é que a prefeitura estava fazendo alguns levantamentos de desapropriações e de licenças ambientais. Mas, ainda, nada entregue ao Estado. Portanto, não há definição exata”, finaliza.

 

Últimas