19.2 C
Criciúma
quarta-feira, julho 17, 2024

Alunos do Colégio Satc exploram características e curiosidades do Inverno

Alunos da Educação Infantil celebraram chegada do frio compartilhando aprendizados com todas as turmas

A partir do projeto Guardiões da Natureza da Educação Infantil do Colégio Satc, as turminhas receberam a missão de representarem uma estação do ano. Com projetos pedagógicos voltados para o aprendizado com propósito e tangível, a turma do Infantil V1 celebrou a chegada do inverno compartilhando aprendizados com os amigos. Em cada proposta de ensino, os alunos são incentivados a explorar as características e curiosidades do período em que correspondem.

A última quinta-feira, dia 10 foi marcada pelo solstício de inverno, período que marca o início da estação mais fria do ano. E com essa representação importante, os alunos do Infantil participaram de uma aula especial. “Nós damos as Boas-vindas ao inverno com um momento representativo, onde os Guardiões recitaram um poema para as outras turmas. Essa é uma iniciativa que incentiva a interação entre os estudantes, os coloca como protagonistas ensinando os amigos com aquilo que aprenderam em sala de aula”, explica a professora do Infantil V1 do Colégio Satc, Tais Agda da Rosa.

Uma lista de atividades foi compartilhada com todos os Guardiões para aprenderem tudo que o inverno pode proporcionar. “A gente contou como o frio acontece, do arrepio, das roupas quentinhas e comidas gostosas. Entregamos para os outros amigos um floquinho de neve para levarem para casa para simbolizar a nossa estação do ano”, conta a aluna do Infantil V1 do Colégio Satc, Luiza Scarduelli.

A abordagem pedagógica envolvendo as estações do ano abre um leque de possibilidades na sala de aula. São exploradas inúmeras informações, além de ensinar conceitos e curiosidades. “Com essa temática conseguimos trabalhar questões como os animais que vivem em áreas frias, espécies exóticas e quais são as frutas que dão nessa época. Conseguimos falar também sobre as famílias que moram em regiões mais frias que vão além de Criciúma, levantar questões como se existe inverno mais rigoroso que esse. É um assunto que fica amplo e leva a gente pra fora das paredes da escola”, destaca a professora.

Últimas