19.2 C
Criciúma
quarta-feira, julho 17, 2024

Caravaggio empata longe de casa

Sob muita chuva, Azulão da Montanha tem as melhores chances, mas fica no 0 a 0 com o Carlos Renaux, em Balneário Camboriú

Tiago Monte

Balneário Camboriú

Com um campo muito encharcado e chuva constante, o Carava empatou sem gols com o Carlos Renaux. A partida, válida pela quinta rodada da Série B do Catarinense, aconteceu na tarde desta segunda-feira, no estádio Eduardo Zeferino Tiago, em Balneário Camboriú. O Azulão da Montanha empilhou chances, principalmente no primeiro tempo, mas parou nas mãos – e nos pés – do goleiro Denison, que evitou a vitória do time de Nova Veneza e foi o melhor em campo. Com o resultado, o Carava chega à terceira posição da Segunda Divisão do Estadual com sete pontos, empatado com o Camboriú, mas o Caravaggio leva vantagem no saldo de gols.

Sob chuva, o Caravaggio começou buscando o ataque, apostando nas bolas lançadas e escanteios. Aos oito minutos, Danielzinho foi lançado, mas o goleiro Denison se antecipou e pegou. Seria uma chance clara do Azulão. O time de Nova Veneza se defendia bem e saía bem para o ataque. Porém, o gramado encharcado dificultava muito o desempenho. Aos 13 minutos, Ricardo bateu e Denison colocou para escanteio. Três minutos depois, Elyson foi lançado e Denison fez grande defesa, colocando para fora. Pressão do Caravaggio, que era melhor e já merecia o gol.

A partir daí, o Carlos Renaux equilibrou a partida e passou a se aproximar do gol defendido por Arthur Vellasque, que substituía o titular, Diego Vitório, que teve uma lesão muscular de grau 3 e para por oito semanas. Danielzinho era o destaque da partida, com bons dribles e levando perigo ao gol do Carlos Renaux. Aos 28 minutos, Padilha pegou o rebote, de fora da área, e a bola saiu, tirando tinta da trave de Denison.

Aos 31 minutos, Danielzinho apareceu pela esquerda e bateu forte, Denison espalmou, a bola sobrou para Elyson que finalizou firme, mas o goleiro do Carlos Renaux pegou com o pé. Milagra do camisa 1 do Carlos Renaux, que impede o primeiro gol do Azulão. Aos 34 minutos, após cobrança de escanteio, a zaga do Azulão afastou. Uma das poucas chegadas do Carlos Renaux na etapa inicial. Aos 43 minutos do primeiro tempo, Rafael finalizou, de longe, mas Arthur Vellasque pegou. No final da etapa inicial, 0 a 0 com um campo encharcado e muita chuva em Balneário Camboriú.

Muita água e nada de gol também na etapa final

O time de Brusque voltou pressionando o Caravaggio e tentando se impor na partida, mas o Azulão se defendia bem e também buscava o ataque. Aos 11 minutos, Jonathan cruzou da esquerda, Arthur Vellasque saiu mal do gol, se chocou com Tiago Coelho, a bola sobrou para Wendel Bahia, que perdeu ângulo e finalizou em cima do goleiro do Azulão, que se recuperou no lance.

Aos 15 minutos, Flaviano teve a chance de marcar, mas Denison, mais uma vez, brilhou e colocou para escanteio. Dois minutos depois, Alessandro Lucas foi derrubado, perto da meia lua da grande área. Falta. Danielzinho cobrou e a bola saiu pela linha de fundo, sem perigo. Aos 22 minutos, Danielzinho apareceu pela esquerda e bateu forte, Denison pegou e, no rebote, Henrique, sozinho, finalizou por cima da trave. Muitas chances perdidas pelo Azulão na partida.

Aos 28 minutos, Danielzinho finalizou, de fora da área, e Denison fez outra grande defesa. A partir daí, a água se acumulou ainda mais e os times tiveram mais dificuldade de criar lances de perigo. No final, empate sem gols do Caravaggio, em Balneário Camboriu, graças ao goleiro Denison.

Últimas