20.8 C
Criciúma
domingo, junho 23, 2024

Gustavo brilha e Tigre vence o Brasiliense nos pênaltis

Após empate no tempo normal, Criciúma conta com o camisa 1 inspirado para seguir adiante na Copa do Brasil. Equipe carvoeira está, agora, entre os 32 melhores times do torneio nacional

Tiago Monte

Taguatinga (DF)

Foi com mais emoção do que a torcida imaginava, mas o Tricolor Carvoeiro está classificado para a terceira fase da Copa do Brasil. Na noite de quinta-feira, o time comandado por Cláudio Tencati bateu o Brasiliense, em Taguatinga (DF), nos pênaltis,e garantiu vaga entre os 32 melhores times do torneio nacional. Após empate por 1 a 1 no tempo normal, o goleiro Gustavo brilhou e foi o destaque nas cobranças decisivas.

O Tigre começou bem o jogo e marcou um golaço, logo aos três minutos, com Éder. Porém, depois disso, o time diminuiu a velocidade e permitiu o crescimento do adversário. Aos 40 minutos da etapa inicial, o Criciúma se complicou ainda mais com a expulsão de Barreto, que levou o segundo cartão amarelo. Na etapa final, Tarta deixou tudo igual aos oito minutos. Com a igualdade, o jogo foi para os pênaltis. Coube ao camisa 1 do Tigre pegar dois pênaltis e garantir a vaga do Tigre. No final, com mais sofrimento que o necessário, o Criciúma seguiu adiante na competição.

O jogo começou em alta velocidade com o time da casa começou tentando pressionar o Tigre. Aos dois minutos, Lila finalizou, a bola pegou na zaga e sobrou para Gabriel Pedra, que bateu, de dentro da área, mas também em cima da defesa carvoeira. Porém, na sequência, quem abriu o marcador foi o Criciúma: Marquinhos Gabriel e Felipe Vizeu puxaram o contra-ataque, mas a bola ficou com Éder que levou da esquerda para o meio e bateu, de fora da área, para fazer um golaço: 1 a 0 para o Tigre. Aos sete minutos, Claudinho cobrou escanteio e Felipe Vizeu cabeceou alto, mas a bola caiu lentamente e pegou no travessão do camisa 1 do Brasiliense. Quase o segundo gol do Tigre. O Brasiliense não se acovardou e seguiu atacando em busca do empate. Da mesma forma, o Criciúma buscava o segundo gol, mas procurava ficar mais com a bola e desacelerava o jogo.

Aos 17 minutos, Lila cabeceou e a bola sobrou para Gabriel Pedra, dentro da área, mas ele furou no lance e desperdiçou a chance. Aos 20 minutos, Tarta finalizou da entrada da área, mas a bola bateu na zaga do Tigre e saiu. Na cobrança de escanteio, falta em Gustavo. Aos 24 minutos, Gustavo Lila bateu, da entrada da área, mas a bola tirou tinta da trave. O Criciúma diminuiu muito a velocidade, se limitou a marcar, e permitiu o avanço do adversário. O time de Brasília seguia avançando, mas pecava nas conclusões.

O Criciúma se acomodou no jogo, tanto que o goleiro Gustavo levou cartão amarelo, por retardar a partida, aos 33 minutos do primeiro tempo. Aos 36 minutos, Júlio Lima finalizou de muito longe e a bola subiu: o time da casa até criava jogadas, mas as finalizações eram muito ruins. Já o Tricolor Carvoeiro pouco chegou ao ataque na segunda metade do primeiro tempo. Aos 40 minutos, Barreto puxou Tobinha, no meio campo, e levou o segundo cartão amarelo. Resultado: Tigre com um a menos ainda no primeiro tempo. Aos 43 minutos, Tarta cobrou falta e Gustavo jogou para escanteio. Dois minutos depois, Tarta cobrou escanteio e Gustavo Henrique quase empatou. No final do primeiro tempo, vitoria carvoeira, mas com pressão do Brasiliense. “É algo que vem acontecendo frequentemente: começamos bem, fazemos o gol, depois baixamos as linhas e permitimos a chegada do adversário. A expulsão faz parte do jogo, agora vamos ver o que o professor Tencati tem para nos dizer, para mantermos o resultado”, comenta Éder, no intervalo.

Emoção e sofrimento na etapa final

Para a segunda etapa, Tencati reforçou o meio de campo do Tigre, retirando Claudinho e Éder para as entradas de dois volantes: Higor Meritão e Eliedson. No primeiro minuto, Netinho cruzou da direita, a defesa do Criciúma errou a marcação e Tobinha, de cabeça, quase empatou. Aos cinco minutos, Gustavo errou a saída de bola, Eliedson não dominou, Tobinha roubou a bola, invadiu a área e foi derrubado por Rodrigo. Pênalti. Na cobrança, Tarta bateu e deixou tudo igual: 1 a 1 aos oito minutos. A partir daí, o time da casa aumentou o volume de jogo e o Tigre, com um a menos, sofria para jogar. Aos 13 minutos, Tobinha avançou pela direita e tentou finalizar, mas bateu mal.

Após o empate do Brasiliense, o Criciúma tentava atacar, mas tinha pouca força ofensiva. Aos 30 minutos, Dandan recebeu dentro da área e bateu fraco para a defesa de Gustavo. O jogo ficou mais lento, com os times diminuindo a velocidade.

Aos 31 minutos, João Santos cruzou da esquerda e Gustavão não alcançou. Quase o segundo gol do Brasiliense. Aos 34 minutos, Renato Kayzer foi derrubado na direita. Falta. Na cobrança de Jonathan, a zaga tirou. Na jogada seguinte, Renato Kayzer bateu forte e Ravel colocou para escanteio. Depois de muito tempo, o Tigre ameaçou o gol do time de Brasilia. Aos 42 minutos, Trauco cruzou da direita, Fellipe Mateus escorou e a bola ficou para Eliedson bater forte, mas a zaga tirou. Aos 43 minutos, Eliedson errou a saída de bola e Higor Meritão derrubou Luquinhas. Falta. Tarta tocou para Júlio Lima que bateu forte para a defesa de Gustavo. No final, tudo igual e decisão nos pênaltis.

Nas cobranças decisivas, Lila bateu o primeiro e Gustavo pegou. Fellipe Mateus bateu mal e também errou. Gustavão chutou o segundo e o camisa 1 do Criciúma brilhou novamente.Porém, na cobrança, Gustavo machucou o dedo mínimo da mão direita. Após atendimento médico, o goleiro seguiu na disputa. Na sequência, Marcelo Hermes cobrou e fez 1 a 0. Dandan cobrou mal e isolou. O Brasiliense errou os três pênaltis cobrados. Higor Meritão fez 2 a 0. Tarta cobrou e descontou. Porém, Renato Kayzer foi o responsável por dar números finais: 3 a 1 para o Tigre, nas cobranças de pênaltis, e classificação garantida.

Copa do Brasil – Segunda fase – Jogo único

14/03 (quinta-feira) – 19 horas – estádio Elmo Serejo Farias, a Boca do Jacaré, em Taguatinga (DF)

BRASILIENSE

Ravel; Netinho, Gustavo Henrique, Igor Morais e Julio Lima; Aldo (Dandan), Tarta e Lila; João Santos (Luquinhas), Gabriel Pedra (Gustavão) e Tobinha (Joãozinho). Técnico: Vilson Tadei

CRICIÚMA

Gustavo; Jonathan (Trauco), Rodrigo, Wilker Ángel e Marcelo Hermes; Barreto, Fellipe Mateus, Claudinho (Higor Meritão) e Marquinhos Gabriel (João Carlos); Éder (Eliedson) e Felipe Vizeu (Renato Kayzer). Técnico: Cláudio Tencati

Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães. Auxiliares: Thiago Henrique Neto Correa Farinha e Lilian da Silva Fernandes Bruno (trio do RJ)

GOLS: Éder (3/1T) (C); Tarta (8/2T) (B)

Cartões Amarelos: Barreto, Gustavo, Jonathan, Claudinho, Wilker Ángel e Higor Meritão (C); Gabriel Pedra, Matheus Kayzer (goleiro reserva, no banco), Igor Morais, Júlio Lima e Netinho (B)

Cartões Vermelhos: Barreto (C)

Últimas