21.2 C
Criciúma
sábado, dezembro 2, 2023

Paixão avassaladora

Quando uma mulher é traída por seu noivo, a decisão de tomar um novo rumo vai mudar completamente a sua vida

Os livros de romance eróticos voltados para o público feminino têm ganhado cada vez mais espaço, inclusive no mercado nacional, visto a quantidade de leitoras assíduas por esse gênero literário. Recentemente, essas obras têm saído das páginas impressas e ganhando vida por meio de filmes e séries. Histórias como “Cinquenta Tons de Cinza”, “Os Bridgertons” e “365 dias”, são exemplos de produções recentes que ganharam certa notoriedade. No cenário nacional, o novo filme original da Netflix, “O Lado Bom de Ser Traída”, é um dos pioneiros. A história é uma adaptação do livro de mesmo nome da autora Sue Hecker, natural de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

Com Giovanna Lancellotti como protagonista, o filme começa quando Babi, uma mulher bonita e bem-sucedida, descobre, na sua despedida de solteira, que o seu noivo Caio – com quem possui um relacionamento há cinco anos – estava lhe traindo. Quando vê que tudo o que havia planejado para o seu futuro não ia mais acontecer da forma que estava esperando, Babi decide dar a volta por cima e mudar totalmente a sua forma de ver o mundo. Com um novo visual, a protagonista vai em busca de novos hobbies e, no caminho, acaba encontrando alguém que mudará sua vida.

Marco (Leandro Lima) é um juiz misterioso e extremamente bonito que compartilha a recém-descoberta paixão de Babi pela velocidade. A tensão entre os dois é palpável desde o primeiro encontro e logo eles vão se envolver, abrindo um novo mundo de experimentações para Babi. Porém, o galã não vem sem complicações e mergulhar de cabeça nesse romance pode ser muito mais perigoso do que a personagem imaginava. Quanto mais eles se envolvem, mais o passado de Marco reaparece para atrapalhar a vida dos dois. Até que a protagonista começa a receber ameaças de morte.

por Kreitlon Pereira

colunavia@gmail.com

Últimas