24.2 C
Criciúma
terça-feira, julho 23, 2024

Escolas municipais de Criciúma estão com diversos problemas estruturais

A vereadora Giovana Mondardo diz que não é de hoje as denúncias de más condições das estruturas das escolas municipais

Criciúma
Alexandra Cavaler

Em menos de 15 dias, duas escolas municipais de Criciúma apresentaram problemas estruturais. A primeira, José Cesário, houve o desprendimento do reboco da laje que acabou atingindo alguns estudantes. Já na tarde de ontem, o problema ocorreu na Carlos Wecki, bairro Cidade Mineira Velha, quando duas réguas de PVC se soltaram do forro.
De acordo com Celito Cardoso, secretário municipal de Educação, a unidade já está com reforma prevista. “Ontem se desprenderam duas réguas de PVC num local que já vinha sendo monitorado e cuja reforma de todo o ambiente deve ser iniciada nos próximos 30 dias. Ainda assim, hoje serão feitos os reparos”, relatou, acrescentando que as aulas seguem normalmente.


Já na José Cesário, o secretário informa um laudo de perícia técnica indicou pela troca do reboco por forro PVC em toda a escola. “Os alunos foram alojados em outros espaços cedidos pelas igrejas Católica e Assembleia de Deus, além do Centro Comunitário. Os estudantes devem voltar em até 40 dias”.


A vereadora Giovana Mondardo diz que não é de hoje as denúncias de más condições das estruturas das escolas municipais. “Não só as escolas, mas as UBS, dos equipamentos públicos de maneira geral. Estamos pedindo, através de requerimento na Câmara, melhorias na sede do CAPS 3. Outra sala nesta mesma escola está com o teto condenado. Existem outras unidades escolares nas quais a calha não sustentou a demanda de chuva alagando salas inteira. Esses são alguns dos casos denunciados nos últimos meses”, finaliza Giovana.

Confira mais matérias completas na edição desta quinta-feira, dia 28, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Últimas