Rodovias federais de SC tem o menor número de mortes em 26 anos

Na área criminal, a PRF em SC bateu recorde de apreensões de maconha com 80,6 toneladas

Foto: Divulgação/PRF

- PUBLICIDADE -

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Santa Catarina, registrou nas rodovias
federais do estado, um total de 7.880 acidentes em 2021, sendo que 8.691 pessoas ficaram feridas e 357 perderam a vida. Comparando com o ano anterior, foi possível verificar um aumento no total de acidentes (+9,2%), aumento de feridos (+5,1%) e redução no número de mortos (-6,5%). Esse é o menor número de mortes em 26 anos de levantamento em rodovias federais no estado.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

A BR-101 foi a rodovia que mais registrou mortes em 2021. Confira outras:

Fiscalização

Em 2021, apesar da pandemia e do isolamento social, a PRF em SC flagrou 3.594 motoristas dirigindo sob efeito de álcool. Também foram multados 12.210 condutores ultrapassando em local proibido e 5.817 por usar o telefone celular. Os agentes
constataram ainda 21.112 pessoas que não estavam usando o cinto de segurança e 1.154
crianças sendo transportadas sem cadeirinha. Mais de 3 milhões e 320 mil quilos de excesso de peso em veículos de carga foram retirados das rodovias.

Combate ao crime

Na área criminal, a PRF em SC bateu o seu recorde de apreensões de maconha, com 80,6 toneladas. Também foram apreendidos 1,2 toneladas de cocaína/crack, 13.415 comprimidos de ecstasy/anfetaminas e 47 mil litros de bebidas alcoólicas importadas irregularmente. Ainda no ano passado, 364 veículos roubados foram recuperados (quase um por dia) e 2.506 pessoas foram detidas por crimes diversos nas rodovias federais do estado.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.