Criminosos realizam compras com notas falsas no comércio de Criciúma

Caso foi parar na Polícia Federal, que encaminhou a ocorrência para a DPCAMI, por conter um adolescente entre os suspeitos

Divulgação PM

- PUBLICIDADE -

Érik Borges
Criciúma

Quatro suspeitos foram flagrados cometendo crime federal de circulação de moeda falsa, nesta quarta-feira, dia 2, no Centro de Criciúma. Um dos envolvidos é adolescente e outros três maiores de idade. Eles abasteceram o automóvel Ford/Fiesta e tentaram pagar com uma nota de R$ 100,  falsa, na avenida Centenário.

- PUBLICIDADE -

A Polícia Militar foi acionada e os policiais flagraram o Fiesta na rua Pedro Rodrigues Lopes, no centro da cidade. Em abordagem aos suspeitos, os policiais encontraram uma pochete com um deles. No objeto havia 30 notas falsificadas de R$ 100. O rapaz alegou que havia achado elas pela manhã, próximas a uma árvore no bairro Rio Maina.

No bolso do segundo envolvido foi localizado mais uma nota de R$ 100 falsificada. Também foi encontrado no banco traseiro do veículo uma nota fiscal de farmácia. Lá, os criminosos compraram um produto de menos de R$ 10, também com uma nota falsa de R$ 100.

O veículo foi apreendido por ter sido considerado em mal estado de conservação, com pneus lisos. Todos os abordados foram conduzidos à delegacia da Polícia Federal. A nota falsa que havia sido passada na farmácia também foi recuperada e entregue junto com as outras na delegacia, totalizando 32.

Na Polícia Federal, a ocorrência foi apresentada ao delegado de plantão. “Mas como tinha um menor de idade, tem que ser atendida pela Delegacia da Criança e do Adolescente. Caso haja algum desdobramento sobre a não participação do menor, o caso é devolvido à Polícia Federal”, explica o delegado da PF, Rafael Broietti.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.