Municípios da região têm Multivacinação e campanha contra a Polio

Dia D será realizado no terceiro sábado de agosto, dia 20, em todo o país

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Gustavo Milioli
Criciúma

Seguindo o protocolo do Ministério da Saúde, os municípios da região deram início nesta segunda-feira, 08, à campanha de vacinação contra a Poliomielite, para crianças de até quatro anos, e à Multivacinação, que almeja colocar em dia cadernetas atrasadas de jovens menores de 15 anos. As aplicações acontecerão nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que possuam salas de vacinação, com o Dia D sendo realizado no terceiro sábado de agosto, dia 20.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

A campanha seguirá até o dia 9 de setembro em todo o território nacional. “É uma ação desencadeada pelo Ministério da Saúde, que busca reduzir o risco de reintrodução do vírus da pólio no país, além de aumentar a cobertura vacinal para todas as vacinas recomendadas pelo Plano Nacional de Imunização e atualizar as carteiras de vacinação de crianças e adolescentes”, ressalta o secretário de Saúde de Criciúma, Arleu da Silveira.

O público-alvo contra a Poliomielite são as crianças menores de cinco anos. Os bebês que ainda não completaram o primeiro ano de vida receberão a dose que estiver em atraso ou a vacina prevista na rotina. Já as crianças de um a quatro anos devem receber uma dose extra da vacina pólio oral (gotinha), desde que já tenham recebido três doses da vacina inativada contra pólio (VIP).

Oportunidade
Para a Multivacinação, o público-alvo são crianças e adolescentes dos dois meses aos 14 anos. A estratégia é atualizar a caderneta de vacinação dos menores de 15 anos de idade, conforme situação vacinal encontrada e de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação.

“Todas essas vacinas fazem parte do Plano Nacional de Imunização e têm a eficácia comprovada. Não podemos correr o risco de reintroduzirmos a pólio e outras graves doenças no país, por isso pedimos: vacinem as crianças”, ressalta Marijane Felippe, coordenadora da Comissão Intergestores Regional de Saúde da Região Carbonífera (CIR-Carbonífera).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.