Dia do Metalúgico: história de crescimento profissional na área

Carlos Vieira tem quase 20 anos de profissão e fala sobre os desafios na área

Foto: Nilton Alves/TN

- PUBLICIDADE -

Érik Borges/Tribuna de Notícias
Criciúma/Içara

Nesse dia tão importante para o segmento, para falar sobre a profissão de metalúrgico a reportagem do TN entrevistou Carlos Vieira, de 44 anos, que trabalha como metalúrgico há 18. O profissional começou no “chão de fábrica”, como ele mesmo define. Após alguns anos de experiência, passou para a área de moldador, no preparo dos moldes para fundição. Depois disso, foi se destacando e passou a ser a ser líder de setor.

- PUBLICIDADE -

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

Casou, teve filhos e atualmente mora no bairro Presidente Vargas, em Içara. “No começo foi trabalhoso. Eu saía do Presidente Vargas e ia até ao Pinheirinho de bicicleta. Saía de casa às 3h30 da madrugada”, lembra Vieira.

Quando era líder de setor, foi designado para a modelaria. Lá, trabalha com moldes de resina preparados com areia, produzindo materiais siderúrgicos como inox, ferro fundido, manganês, ferro branco, entre outros.

Carlos é de uma família de caminhoneiros. Apenas um irmão também já trabalhou como metalúrgico. Ele conta que essa profissão exige bastante atenção, porque qualquer descuido pode causar sérios problemas. “Mas sempre trabalhamos conforme o protocolo exigido pelos engenheiros”, finaliza Vieira.

Nesses 18 anos de profissão, o metalúrgico conta que já enfrentou vários desafios e destaca a importância desse segmento para a sociedade. Antes de ingressar no ramo metalúrgico, Carlos trabalhou em uma empresa de descartáveis plásticos, mas foi como metalúrgico que se consolidou profissionalmente.

Instrumento importante

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da região, João Batista da Silva, o Boca, conta que atualmente o sindicato conta com aproximadamente 1,7 mil associados, oferecendo assistencialismo tanto para o associado como para os dependentes e defendendo a categoria nas negociações com cinco sindicatos patronais. “O sindicato é instrumento importante para o trabalhador nas lutas e conquistas para a classe trabalhadora”, diz Boca.

O Sindicato foi fundado em 5 de maio de 1962. Na época, não havia na categoria nenhuma forma de organização.  Atualmente o Sindicato tem base territorial com aproximadamente 10 mil trabalhadores, com abrangência em 29 municípios.

Na Convenção Coletiva de Trabalho, que atualmente possui 48 cláusulas, aparecem os direitos a estabilidade pré-aposentadoria, horas extras com a primeira e segunda com adicional de 50% e a partir da terceira com adicional de 100%, adicional noturno de 30%, Piso Salarial, abono de férias, aviso prévio de 45 dias para os trabalhadores com mais de cinco anos na empresa e 60 dias para aqueles de possuem mais de 10 anos de empresa.

“Hoje, pode-se afirmar que a categoria metalúrgica possui um Sindicato atuante, organizado e com uma boa estrutura física e administrativa, voltada ao bem-estar dos nossos associados e da categoria”, pontua Boca.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.