Morro da Fumaça promove encontro destinado a pessoas com fibromialgia

Evento acontecerá na próxima terça-feira, às 19h, no Centro de Múltiplo Uso

Imagem: Divulgação

- PUBLICIDADE -

O Centro de Múltiplo Uso de Morro da Fumaça recebe na próxima terça-feira, dia 20, um encontro destinado a pessoas com fibromialgia. O médico da rede municipal de saúde, Alexandre Regio Gomes, especialista em medicina da família e acupuntura, mediará a conversa com os pacientes.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

A iniciativa é da Secretaria do Sistema de Saúde de Morro da Fumaça e foi pensada para ampliar o conhecimento sobre a doença. Segundo dados da Secretaria do Sistema de Saúde de Morro da Fumaça, o diagnóstico acontece em pelo menos 5% dos pacientes que vão a um consultório de clínica médica e em 10% a 15% dos pacientes que vão a um consultório de reumatologia. A doença acomete mais mulheres do que homens e costuma surgir entre os 30 e 55 anos.

“A ideia surgiu com intuito de dar visibilidade ao tema, conscientizar e trazer informação sobre a fibromialgia. Já é o segundo evento esse ano, que conta como objetivo trazer conhecimento sobre a síndrome, seus sintomas e o tratamento para as pessoas portadoras. Por ser uma síndrome dolorosa, difusa e que afeta todo o corpo, muitas vezes leva tempo para ser diagnosticada, por não aparecer em exames, apenas por sintomas clínicos”, afirma Francine da Soller Teixeira, coordenadora adjunta de saúde do município.

Em Morro da Fumaça, por meio da lei nº 1.908/2019, os pacientes têm prioridade em filas de atendimento e vagas para estacionamentos. A identificação acontece por comprovação médica, com o Governo Municipal emitindo cartão ou adesivo. O município também conta com um grupo de portadoras da fibromialgia e o dia a ser comemorado anualmente é em 12 de maio.

“A fibromialgia é uma doença reumatológica que afeta a musculatura causando dor, sendo mais frequente nos tendões e nas articulações. Junto com a dor, ela costuma ser acompanhada por fadiga, alterações no sono, na memória e no humor. Por ser mais comum do que a gente imagina, é importante ampliarmos os conhecimentos dos sintomas”, assinala Marijane Felippe, secretária do Sistema de Saúde.

Foto: Divulgação
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.