20 C
Criciúma
segunda-feira, maio 20, 2024

Comitiva Britânica vai à Celesc para fortalecer laços comerciais

Na última semana, o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, e o diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios, Pablo Cupani Carena, receberam, na sede da empresa, em Florianópolis, uma comitiva liderada pela embaixadora do Reino Unido, Sra. Melanie Hopkins, a fim de fortalecer e estreitar laços institucionais e comerciais entre aquele país e Santa Catarina, especialmente acerca dos investimentos realizados e do planejamento para expansão de projetos voltados às energias renováveis.

Na ocasião, o presidente agradeceu a visita e falou sobre a importância do intercâmbio de informações e projetos entre o estado e o Reino Unido. “Santa Catarina tem muito potencial para crescer, especialmente na área de energia renovável. Na Celesc os projetos despontam e as parcerias são sempre bem-vindas”, ressaltou Poleto, que também destacou os investimentos em melhorias no sistema elétrico e no atendimento à população catarinense.

 

Cleicio citou, ainda, os excelentes resultados econômico-financeiros, com maior EBITA e Lucro Líquido da história da empresa por dois anos consecutivos, 2020 e 2021. Falou sobre os dados de mercado que confirmam o crescimento expressivo no consumo de energia na área de concessão da Celesc, que já conta com o maior consumo per capta do país, em relação aos clientes residenciais; e sobre o Programa Celesc Rural que, desde 2019, já atendeu mais de 250 mil famílias com a substituição de 3.100 quilômetros de cabos nus por cabos protegidos, em redes mono ou trifásicas com investimentos de cerca de R$ 300 milhões. “Essa ação está mudando o paradigma do agronegócio, setor responsável por 79% das exportações catarinenses”, relatou.

Já Pablo falou sobre a atuação da Companhia em novos negócios — como a inauguração da primeira usina solar, na região Oeste, e o lançamento no segmento de geração distribuída, a partir da Usina Solar que está sendo implantada no Planalto Serrano. Ele também abordou a licitação que deve ser aberta em breve para dar prosseguimento ao projeto de revitalização da Usina Maruim, cujas obras estão previstas para iniciar no segundo semestre. “Inaugurada em 1910, esta foi a primeira usina da Grande Florianópolis e a segunda de Santa Catarina a ser instalada. Por coincidência, sua construção foi realizada por uma empresa inglesa. Além de reativá-la, em um segundo momento, nossa intenção também é abrir o espaço a visitação para que a população possa conhecer esse verdadeiro patrimônio histórico do Estado”, disse o diretor.

Reunião 2 Copia

Pablo Cupani em apresentação à embaixadora do Reino Unido

Hopkins ficou entusiasmada com o projeto executado pela companhia inglesa e demonstrou interesse em firmar uma parceria nesse sentido. “É nossa primeira visita a este estado e estamos encantados. Para o Reino Unido, o apoio a iniciativas de modernização que estejam preocupadas com a preservação do meio ambiente, como as que envolvem a geração de energia limpa, é prioridade”, afirmou a embaixadora. Segundo ela, atualmente as relações entre o Reino Unido e Santa Catarina envolvem, principalmente, a importação de peças de automóveis, ativos da indústria farmacêutica e a troca de tecnologias.

Pela Celesc, também participaram do encontro a gerente do Departamento de Engenharia e Projetos da Celesc Geração, Estela Christina Müller, a assistente da Diretoria, Vandirlene Vanessa da Rosa e o gerente do Departamento de Novos Negócios, Marcio dos Santos Lautert. Integravam, ainda, a comitiva britânica, o enviado Comercial do Reino Unido para o Brasil, Marco Longhi MP, a gerente de Desenvolvimento de Negócios em Energia Renovável, Anna Barbosa e o cônsul honorário Britânico, sr. Michel Delaney.

Últimas