Nova Veneza: Fundave e Polícia Ambiental apreende aves silvestres

As aves eram mantidas em cativeiro, os responsáveis foram multados em R$ 8 mil reais

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

A equipe da Fundação Municipal de Meio Ambiente de Nova Veneza (Fundave), em operação conjunta com a Polícia Militar Ambiental, apreendeu na tarde desta quarta-feira (30), 16 aves silvestres nativas em duas residências, em São Bento Baixo. Os proprietários não tinham as licenças ambientais para a posse dos animais. A operação apreendeu em flagrante pássaros das espécies Trinca-ferro e Coleirinho mantidos em cativeiro de forma ilegal.

O biólogo da FUNDAVE, João Gava Just, explica que os pássaros estavam sem os anéis de identificação ou tinham eles falsificados. “O Ibama tem um sistema de controle destes animais através das anilhas e, nesse caso, a maioria não possuía e uma ave estava com a anilha violada. Mas com o apoio dos policiais, identificamos os crimes ambientais e autuamos os moradores”, comenta.

- PUBLICIDADE -

Além das multas de R$ 2 mil e R$ 6 mil reais, que os dois moradores terão que pagar, a lei prevê detenção de 06 meses a 01 ano. “As pessoas sabem que não podem ter estes animais, em casa, sem autorização. Isso pode gerar complicações legais e não só ambientais. Por isso, sempre reforçamos e ampliamos os nossos trabalhos de conscientização e fiscalização, para que estas práticas deixem de existir”, enfatiza Gava.

Após a apreensão, as aves serão avaliadas. “Tudo indica que estas aves foram capturadas da natureza e/ou compradas de criadores ilegais. Agora, vamos avaliar as condições de cada uma e vamos soltar na natureza”, explica o biólogo.

Os moradores que identificarem algum tipo de crime ambiental relacionado à posse ilegal de aves, podem realizar as denúncias de forma anônima através do telefone da Fundação: (48) 3436-5273 ou do e-mail: fundave@novaveneza.sc.gov.br.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.