Criciúma: polícia prende homem com peças de motocicleta furtada

Diante dos fatos a guarnição conduziu o homem para a Central de Flagrantes junto com os objetos furtados para os procedimentos cabíveis

Foto: Divulgação/ Polícia Militar
- PUBLICIDADE -

Na noite desta terça-feira, 13, por volta das 21h, a guarnição policial em rondas no bairro Paraíso, na rua Carlos Escavone, em Criciúma, avistou um homem com um quadro de motocicleta na mão, que ao visualizar os policiais, descarrilhou o portão de correr de uma residência e adentrou para o interior da residência, abandonando o objeto em frente a resistência.

Ao consultar o quadro da motocicleta foi averiguado que o mesmo estava com registro de furto. Ao ser efetuado a averiguação foi encontrado o homem que fugiu da guarnição escondido embaixo da cama de um dos quadros da residência.

- PUBLICIDADE -

Em averiguação pela residência foi encontrado no quarto de várias peças de motocicleta desmontado, e no pátio da residência foi encontrado outra motocicleta uma HONDA/CG 125 FAN o qual encontrava-se com uma ligação direta na ignição, lacre da placa violado, mais de três mil reais de débitos, porém o chassi condizia com a placa.

Ao averiguar o motor da motocicleta foi constatado que o motor pertencia a motocicleta desmontada HONDA/CG 125 TITAN KSE o qual o chassi apresentava registro de furto dia 10/07/21.

O homem relatou a guarnição que comprou a motocicleta a certa de dois meses, e a motocicleta com registro de furto comprou a poucos dias, e questionado o porquê do motor da motocicleta furtada estava na outra, ele não soube responder.

Diante dos fatos a guarnição conduziu o homem para a Central de Flagrantes junto com os objetos furtados para os procedimentos cabíveis.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.