Operação Benedetta: peritos da PF investigam obras de Urussanga

Em 2020 e 2021, a Prefeitura anunciou uma série de obras de pavimentação asfáltica, tanto na área central como em comunidades do interior

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

O setor de perícias da Polícia Federal (PF), através dos técnicos especializados, realizaram diligências investigativas em obras pavimentadas de Urussanga, ontem. A ação faz parte da Operação Benedetta, que apura supostos desvios de verba e superfaturamento de obras no município, por parte do Poder Executivo.

As obras vistoriadas pelos peritos foram executadas através do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). Um dos locais vistoriados pelos peritos foi a UR-21, na Estrada Geral do bairro Rio América Baixo, que foi pavimentada em fevereiro deste ano.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o delegado e coordenador da Polícia Federal, Daniel Reschke, essas obras analisadas pelo setor de perícias fazem parte do conjunto de obras investigadas. “Elas fazem parte da Operação Benedetta. A gente está terminando a análise dos materiais apreendido. São justamente essas diligências que estão sendo feitas para apurar possível superfaturamento e ver se aqueles gastos declarados são compatíveis com as obras realizadas”, explica Reschke.

O relatório que foi enviado pelo Poder Executivo ao Legislativo de Urussanga, ainda em 2020, mostra que a verba investiga para a pavimentação na localidade foi de R$ 701 mil. Além da obra no bairro Rio América Baixo, outras também foram vistoriadas, mas a PF não informou mais detalhes.

Segundo o delegado, a conclusão das investigações deve ocorrer em aproximadamente dois meses. Ainda de acordo com ele, a anexação de documentos e laudos periciais estão sendo realizadas e as investigações continuam até a conclusão do inquérito.

Relembre o caso

Em maio deste ano, a Polícia Federal deflagrou a Operação Benedetta, para investigar possível má aplicação de recursos públicos contratados por municípios com a Caixa Econômica para o financiamento de despesas.

Na fase inicial, cerca de 75 policiais federais cumpriram 18 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em endereços vinculados a empresas, órgãos públicos, servidores públicos e empresários.

A investigação iniciou em setembro de 2020 e ainda apura indícios comprobatórios das supostas fraudes que teriam ocorrido em obras de pavimentação e de identificar a eventual participação de servidores públicos nos fatos, além de apurar o destino do montante dos recursos supostamente desviados, que, em apenas uma das diversas obras financiadas, se aproxima de R$ 300 mil.

Nos autos do inquérito policial instaurado para completa apuração dos fatos, os investigados, podem ser enquadrados na prática dos crimes de peculato, crime de responsabilidade e organização criminosa.

Afastamento

Ainda em maio, o prefeito de Urussanga, Luis Gustavo Cancellier (PP) foi afastado do cargo. A chefe de gabinete e uma contadora também foram afastadas do cargo e estão proibidas de acessar a prefeitura.

Um ex-secretário de obras, um ex-fiscal e um familiar do prefeito também foram proibidos de frequentar o espaço da administração municipal.

Desde 20 de maio, Jair Nandi assumiu interinamente o cargo de prefeito em Urussanga. Isso de deu para acolher a determinação legal das medidas solicitadas em ofício pelo Tribunal.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.