Amigos e familiares se despedem de Nicola Gava

O velório aconteceu nesta quinta-feira, 17, na capela mortuária do Cemitério Central de Nova Veneza

Foto: Lucas Sabino
- PUBLICIDADE -

O historiador e colunista do Tribuna de Notícias, Nicola Gava, morreu na tarde desta quarta-feira, 16, vítima das complicações causadas pela Covid-19. Gava, com 58 anos, estava internado desde o último mês no Hospital São José, em Criciúma.

O velório aconteceu nesta quinta-feira, 17, na capela mortuária do Cemitério Central de Nova Veneza. O sepultamento aconteceu às 14 h.

- PUBLICIDADE -

Apaixonado  

Um exímio escritor e apaixonado pelas origens, Gava viajou para Itália mais de 70 vezes e visitou 86 países. Desde 2004, o historiador desenvolvia um projeto denominado como “Colonia Del Bauco”, que previa a construção de uma pequena vila medieval, com detalhes arquitetônicos que evidenciariam o período da colonização. Em 1998, Nicola criou o ‘SOS Cultura’, uma tentativa de resgatar o patrimônio histórico e lingüístico italiano, fortalecendo o município neoveneziano.

“É muito triste, nós perdemos, Nova Veneza perde, a região perde, é uma pena. Jovem, com milhares de ideias” – Edson da Soler, diretor Geral do grupo SL de Comunicação.

“Uma pessoa única em Nova Veneza”

Para a secretária de Cultura do município neoveneziano, Carolina Ghislandi, Gava era uma pessoa única em Nova Veneza e região. “Era um apaixonado pela história da nossa cidade, por nossa cidade, pelas famílias de Nova Veneza, especialmente pelas de origem italiana. Era um estudioso, um incentivador e sempre foi uma pessoa que em todos os momentos respirava história. Então sentar com Nicola era ter a certeza de que a gente aprenderia muito a respeito de Nova Veneza e da região. Ele resguardava a história que ocorre todos os dias nas nossas cidades através do seu trabalho com seus documentários, entrevistas e vivências. Infelizmente, é um agente cultural único que perdemos”, lamenta.

Além de participar ativamente de entidades culturais do município, Nicola também era um historiador nato, que buscava sempre informações sobre os antepassados, bem como tudo que envolvia a cultura italiana. “Dificilmente vamos ter outro que se dispõe a ir tão a fundo à análise, na vivência e contando a nossa história. É um dia muito triste para a cultura de Nova Veneza, para a história de Nova Veneza, mas também para a região”, acrescenta Carolina.

Lembranças ficarão para sempre na memória

A partir de agora, o que ficam são as lembranças de Nicola Gava. E, não são poucas. Ativo em diversas entidades do município de Nova Veneza, o historiador contribuiu com ações que foram essenciais para o desenvolvimento da cidade. Amigos e companheiros de caminhada falam sobre o papel que o entusiasta exerceu em prol da cultura italiana em toda a região.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.