Centro de Inovação Social Abadeus recebe gestores da Rede Laço e Fapesc

Nível de maturidade do projeto, pioneiro no estado, surpreendeu a comitiva que visitou a entidade, na manhã desta segunda-feira, dia 23

Foto: Júlio Cavalheiro/Secom SC

- PUBLICIDADE -

A primeira-dama do Estado e coordenadora da Rede Laço de Voluntariado, Késia Martins da Silva, e o presidente da Fapesc – Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina, Fábio Zabot Holthausen, conheceram na manhã desta segunda-feira, dia 23, o CISA – Centro de Inovação Social da Abadeus. Inaugurado há quatro meses e pioneiro em SC, o projeto que já conta com quase 250 estudantes surpreendeu positivamente os gestores, que puderam conhecer em detalhes a estrutura física, as ações em andamento, além do modelo de governança.

“É um projeto incrível, que demonstra o quão amadurecidas estão as ações, bem como a gestão da Abadeus. Temos aqui um case que será levado para discussão no âmbito dos CTIs – Centros de Tecnologia e Inovação, com o objetivo de inspirar outros atores pelo estado”, elogia Holthausen.

- PUBLICIDADE -

Conduzida pelo coordenador de inovação da Abadeus, Maicon Canever, a apresentação do impacto social e econômico que poderá ser gerado no estado por meio de projetos semelhantes ao do CISA chamou a atenção dos gestores. Atualmente, segundo dados do Governo Federal, são destinados mais de R$ 850 milhões para o Bolsa Família em SC, enquanto apenas 1% desse montante poderia subsidiar a implantação de Centros de Inovação Social em todo o estado.

“O que fazemos aqui não é assistencialismo, é entregar ferramentas, e ferramentas atuais, para que crianças, adolescentes, jovens e adultos, em situação de vulnerabilidade, possam ser protagonistas do seu próprio futuro. Trata-se de uma contribuição efetiva para a redução das desigualdades sociais e da pobreza”, pontuou a diretora executiva da Abadeus, Shirlei Monteiro.

De acordo com a primeira-dama, a aproximação entre a Rede Laço e a Fapesc tem relação direta com a inovação social. O objetivo agora é desenhar ações específicas para fomentar, dar visibilidade e incentivar a participação dos cidadãos nesses projetos.

“A cada oportunidade de conhecer melhor a Abadeus, fico ainda mais impressionada com o trabalho desenvolvido aqui. Convidamos a entidade para participar ativamente da Rede Laço e compartilhar sua expertise com todos os envolvidos”, comentou Késia.

A visita ao CISA, na manhã desta segunda-feira, contou ainda com a presença do presidente da Amrec, Jorge Koch, e de representantes das prefeituras de Siderópolis e Araranguá.

Resultados do CISA em quatro meses de implantação:

Quase 250 estudantes sendo capacitados em robótica, linguagem de programação e empreendedorismo;

Um projeto de incubação de aplicativo de repercussão nacional no segmento de turismo (Tectur4.0);

Reconhecimento e processo de inclusão nos CI de Criciúma e CTI de Araranguá;

Parceria com a Junior Achievement para programa de startup, com início ainda em 2021;

Quatro projetos de inovação submetidos ao programa Nascer, da Fapesc;

Mais de 215 visitas de municípios e empresas com o interesse em replicar o modelo, movimentando o ecossistema local.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.