MTur e MMFDH firmam parceria para atender turistas com deficiência

Iniciativa prevê uma série de ações para promoção e desenvolvimento da acessibilidade no setor turístico do Brasil

0
154
Acordo de cooperação objetiva promover o acesso de pessoas com deficiência a destinos turísticos.

No Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (03.12), os ministérios do Turismo (MTur) e da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH) estabelecem uma parceria para promover o acesso de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida aos principais destinos turísticos do país. O acordo de cooperação entre as pastas foi assinado nesta manhã e prevê uma série de ações para garantir que o turismo seja acessível para todos. A secretária nacional de Desenvolvimento e Competitividade substituta, Debora Vieira Barboza, representou o Ministério do Turismo na cerimônia.

O objetivo da iniciativa é a inclusão social, uma vez que permite que pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida tenham segurança e autonomia para acessar atrativos, serviços e empreendimentos turísticos. Quase 46 milhões de pessoas no Brasil têm pelo menos um tipo de deficiência, seja visual, auditiva, motora ou mental/intelectual. Segundo o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), este número representou 24% da população.

“Hoje é um dia histórico porque estabelecemos que o turismo deve ser acessível para todos, com segurança e autonomia, incluindo os milhões de brasileiros que apresentam alguma deficiência no país”, destacou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Agora, um Grupo de Trabalho, com integrantes dos dois ministérios, irá elaborar um plano de ação que prevê iniciativas próprias e apoio institucional para promover a acessibilidade urbana e a adaptação de atividades turísticas, no âmbito do Programa Turismo Acessível.

Entre as ações previstas está o mapeamento da acessibilidade no turismo e infraestrutura turística dos principais destinos brasileiros, além de atividades de sensibilização e disseminação de orientações sobre a acessibilidade nos mais diversos setores da atividade turística.

“A acessibilidade no setor irá facilitar a vida de muita gente, mas também irá ampliar o potencial de negócios nestes locais”, avaliou o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França Cordeiro.

ACESSIBILIDADE – Para garantir destinos mais acessíveis, o Ministério do Turismo já desenvolve uma série de ações que integram o programa Turismo Acessível, que busca promover a inclusão social no âmbito do Ministério do Turismo, Embratur e instituições parceiras.

Em conjunto com a Universidade Federal de Alagoas (UFAL), o Ministério do Turismo lançou, em setembro deste ano, o aplicativo TATU (Tecnologia Assistiva no Turismo). A ferramenta já está em uso, como projeto-piloto, no Estado de Alagoas e permite que turistas com deficiência visual e auditiva possam conhecer atrativos turísticos locais com o auxílio de audiodescrição e de LIBRAS (Linguagem Brasileira de Sinais).

Funciona assim: em um museu, por exemplo, a medida que o turista com deficiência visual se aproxima de um item, ele conta com a audiodescrição, que descreve itens do acervo da atração. Enquanto que a pessoa com deficiência auditiva conta com vídeos com traduções para LIBRAS dos itens dispostos no museu. É desta forma que a iniciativa auxilia este público em visita a espaços turísticos e museus com auxílio de GPS ou bluetooth.

O Ministério do Turismo também disponibiliza o aplicativo Guia Turismo Acessível. O app é colaborativo e permite o cadastramento e avaliação de acessibilidade dos empreendimentos e pontos turísticos em todos os estados do país. Através de uma parceria com o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, consultores estão, neste momento, em campo para realizar um diagnóstico da acessibilidade em destinos turísticos. As informações serão incluídas no aplicativo.

Para orientar empreendimentos, o Ministério do Turismo também possui uma cartilha com dicas para atender bem turistas com deficiência e mobilidade reduzida. Trata-se de um guia para prestadores de serviços turísticos.

O objetivo é promover, cada vez mais, a inclusão social e o acesso de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida aos atrativos e serviços turísticos do Brasil.

Via Ministério do Turismo/Amanda Costa

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here