Fotos boas e atenção a golpes: como comprar e vender seu carro na internet

Anúncios com fotos (e de boa qualidade) sempre são mais visualizados

Mais Lidas

A volta do que (ainda) não foi

O mercado brasileiro de carros de passeio e comerciais leves teve 165.580 unidades vendidas em julho, com altas de...

A nova cara

Lançado em 1961, o Mini Cooper – pertencente ao BMW Group desde 2000 – terá a terceira mudança de...

Retoques na líder

Veículo mais vendido do Brasil há mais de um ano ininterruptamente, a Fiat Strada chega à linha 2023 com...

Foi-se o tempo em que comprar ou vender um carro era um processo demorado e às vezes até exaustivo. Hoje é possível realizar qualquer um dos processos em poucos minutos – e sem sair de casa.

Os sites de compra e venda de veículos crescem a cada dia, especialmente em tempos de pandemia e distanciamento social. Levantamento feito pela OLX aponta que as vendas de carros cresceram 20% na comparação da média de junho a agosto em relação à média de janeiro e fevereiro, quando o coronavírus ainda não havia tomado conta do país.

“Com as questões de distanciamento social que vivemos hoje, muitos brasileiros consideram o carro uma alternativa de locomoção segura, à medida que reduz a exposição em transportes públicos. E há também quem busque um veículo para trabalhar durante a pandemia, como motoristas de aplicativos, por exemplo”, afirma Flávio Passos, diretor de autos da OLX Brasil.

Mas não basta apenas colocar o anúncio no ar e esperar pelos compradores. Existem algumas dicas e cuidados a serem tomados antes de fechar negócio para não cair em roubada.

Se você vai comprar um veículo, uma das primeiras providências é saber exatamente o que procura. “Considere a finalidade do veículo. O carro é para uso pessoal ou para trabalho? Depois, defina o orçamento base para a compra. Considere também a frequência de uso que o veículo terá, se vai circular mais em ambiente urbano ou estrada, e quantos passageiros levará com frequência”, aconselha Flávio.

A partir daí, é importante procurar com calma. As plataformas online disponibilizam milhares de anúncios, então é importante prestar atenção nas informações do carro, como quilometragem rodada e estado de conservação.

“Solicite dados como placa, número do chassi e número do Renavam para saber a situação junto aos órgãos de fiscalização. Descubra a periodicidade das revisões e se há dívidas, financiamentos ou multas. Peça também a vistoria cautelar do automóvel. Todas as informações devem ser consideradas e avaliadas antes de fechar negócio”, afirma Passos.

Vai vender? Seja transparente

Analise com atenção as fotos do anúncio para descobrir eventuais defeitos ou problemas omitidos pelo anunciante. Se a sua intenção é vender o carro, lembre-se de fazer fotos em ambientes bem iluminados e em posições que valorizem o veículo. Mostre todos os ângulos, inclusive por dentro. Até porque é mais importante ser transparente e reconhecer problemas em vez de escondê-los.

E outro conselho: não esqueça de fazer uma descrição detalhada das características do carro que está anunciando. Vá além das informações básicas, como ano/modelo, quilometragem e itens de série. Valorize o produto que tem em mãos.

Olho vivo 

Seja na compra ou na venda, todo cuidado é pouco com golpes, que infelizmente são muito comuns em negócios fechados pela internet. “Analise as propostas e desconfie de valores muito abaixo do mercado ou com excessos de facilidade. Fique alerta caso o vendedor esteja apressado demais para fechar negócio, não passe informações sobre o veículo ou se coloque como intermediário da compra. Nesses casos, denuncie sempre que desconfiar e não faça pagamentos antecipados sem antes ver o veículo de perto e saber que está em bom estado”.

Por fim, consultar um especialista é sempre uma boa dica antes de bater o martelo. “Converse com alguém que entenda de carros e analisem juntos as condições do veículo. Faça uma revisão no veículo com um mecânico de sua confiança antes de efetuar o pagamento. Vá ao cartório junto com o vendedor e só realize o pagamento quando tiver certeza que o documento será transferido para seu nome”, conclui Flávio.

 

Informações: Meu Carro / UOL