Criança perde visão e necessita de doações para tratamento

Família reside em Criciúma. O procedimento é realizado em Joinville e pode fazer Theo Santa Helena Ribeiro voltar a enxergar

Foto: Arquivo Pessoal

- PUBLICIDADE -

Thais Borges/Especial
Criciúma

A família de Theo Santa Helena Ribeiro está buscando doações para um tratamento, já que o pequeno perdeu totalmente a visão aos dois anos e dez meses de idade. A condição do pequeno é rara: descoberta recentemente, se trata de uma catarata congênita. Por esse motivo, os parentes montaram uma vaquinha – financiamento coletivo na internet. Até o momento, R$ 12 mil foram arrecadados. A família atualmente reside em Criciúma, mas é do Rio Grande do Sul.

- PUBLICIDADE -

Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

 

Na terça-feira, 17, a criança esteve no médico e os pais souberam que a catarata tinha tomado não só a visão parcial, mas integral. “Falaram que ele não enxerga. A única maneira dele voltar a enxergar é a cirurgia. Foi repentino. A causa ainda não sabem. Estamos fazendo muitos exames para saber o que aconteceu porque evoluiu muito rápido. O médico acredita ser alguma doença metabólica”, conta a mãe, Caroline Alves Santa Helena, de 36 anos.

 

Mesmo com o tratamento, ainda há perigo de comprometer os olhos da criança. “O que o médico me passou é que há riscos na cirurgia (de glaucoma, deslocamento de lente) e a anestesia geral exige muito risco, ainda que os olhos fiquem bons, a recuperação vai depender dos danos neurológicos que já sofreu”, aponta Caroline. A esperança é que o filho volte a enxergar. “Pode ser que volte logo após ou terá que estimular o cérebro a reconhecer o olho de volta, como se fosse uma fisioterapia. Terá que usar óculos e pode ter que fazer mais cirurgias pois o olho está crescendo”, explica a mãe, preocupada. “Estamos pedindo muitas orações também”.

 

A assistência necessária só está disponível em Joinville. “Segundo informações passadas, só este médico que opera crianças na idade do Theo”, comenta Caroline sobre o procedimento. Os custos envolvem consultas, exames, lentes e colírios, resultando em um total de R$ 25 mil. “São três especialistas que estão acompanhando ele neste momento”, confirma. A rotina é intensa. “Hoje (quinta-feira, 19) passamos a manhã no laboratório fazendo exames. Estamos pra fazer ressonância e tomografia”, revela Caroline.

 

Métodos de ajuda

 

No site Vakinha – de financiamento coletivo na internet – os que quiserem ajudar conseguem identificar a página do tratamento de Theo Santa Helena Ribeiro através do ID 3399817. Além disso, podem mandar qualquer valor para o pix 48998586696 (número de celular). Para mais informações, é só entrar em contato com a mãe pelo mesmo número por ligação. Ainda faltam R$ 13 mil para a família bater a meta de arrecadação.

 

Em choque

 

Quando descobriram a situação do pequeno Theo, os pais entraram em choque. “Ficamos sem chão. Recebemos o diagnóstico dia 26 de dezembro em uma consulta”, relembra o pai, Rogério Pogorzelski Ribeiro, de 38 anos. “Todos os médicos estavam de recesso. Ligamos por tudo. O primeiro médico que nos atendeu falou que o médico poderia atender o Theo só conseguiria em Joinville no Hospital de Olhos Sadalla, mas Deus é bom. Ele agilizou todos os processos dentro do hospital para que o Theo conseguisse operar o quanto antes”. Os pais estão esperançosos para o pós-operatório, pois a cirurgia já está marcada. “Tenho fé que vai dar tudo certo. O pós é bem complicado. Tem que ter bastante cuidado e paciência e o tratamento vai ser pro resto da vida”, encerra Pogorzelski.

Foto: Arquivo Pessoal
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.