Despesas do governo de SC explodiram nos dois últimos anos

Dados revelados pelo secretário da Fazenda são impacantes

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

O secretário da Fazenda, Cleverson Siewert, deixou claro em sua exposição sobre a realidade financeira do Estado que as despesas públicas em Santa Catarina explodiram no período entre 2019 e 2022.  E que esta explosão provocará este ano um déficit de 2 bilhões e 850 milhões de reais.

 > Clique e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Indicou 3,59 bilhoes de reais de fluxo de caixa, 2 bilhões de transferências para terceiros, 4,11 bilhões de execução da Lei Orçamentária e 31 milhões de pendências especiais, o que resulta num rombo de 2,85 bilhões.

Ele começou a análise destacando que o cenário das receitas e despesas teve duas linhas muito distintas: a primeira, entre 2013 e 2019, com uma tendência média da arrecadação e dos gastos públicos; e a segunda, entre 2019 e 2022.

Destacou que o governo Jorginho Melo terá apenas 3,23% de toda a arrecadação estadual para investimentos em 2023.

Com base nos números negativos o governo anunciou que vai promover um ajuste fiscal, embora sem antecipar em que setores as medidas serão mais drásticas.  Falou em redução de custos com a máquina e contratos.

Cleverson Siewert mostrou que a média de gastos com os terceirizados entre 2013 e 2018 era de 212 milhões de reais e que em 2022 houve um salto para 328 milhões de rais.

Em relação a todas as fontes, a média em 2018 era de 380 milhões de reais, total que pulou para 600 milhões em 2022.

Já os gastos com material permanente atingiu 18 milhões entre 2013 e 2018, subindo para 242 milhões entre 2019 e 2022.

O governador Jorginho Melo encerrou a entrevista reafirmando que apesar do déficit estão mantidas as promessas de campanha, em especial, no que se refere à gratuidade do ensino superior, a redução das filas de cirurgias eletivas e obras estruturantes.

 *Via ND+
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.