32.1 C
Criciúma
sábado, fevereiro 24, 2024

Timbé do Sul busca universalização do recolhimento de esgoto até 2033

Município terá audiência pública final para tratar sobre o Plano Municipal de Saneamento Básico

Timbé do Sul
Edson Padoin
politica@tnsul.com

O município de Timbé do Sul se prepara para um momento crucial na busca pela melhoria das condições de saneamento básico. A audiência final do Plano Municipal de Saneamento Básico está marcada para amanhã, a partir das 19h, na Câmara de Vereadores da cidade.
O Plano, regido pela lei nº. 11.445/2007, visa avaliar e planejar as condições de saneamento no município, abordando quatro eixos fundamentais: abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana e destinação adequada de resíduos sólidos, além da drenagem pluvial urbana.

Com a promulgação da lei 14.026/2020, estabelecendo a universalização do saneamento até 2033, a cidade se mobiliza para atender a esses requisitos. O responsável pelo projeto, Fabricio Vieira, destaca a importância do plano na compreensão e transformação da realidade local.

“O plano de saneamento é um instrumento essencial para entender a condição do município. Nós só conseguimos mudar a realidade entendendo o que existe. Por isso, realizamos um diagnóstico abrangente das quatro vertentes do saneamento”, explica Vieira.

Durante a audiência, serão apresentados o Planejamento Estratégico e as metas para a universalização, considerando diversos cenários. Vieira detalha que o plano contempla várias frentes, desde a estruturação de redes de esgoto até sistemas individuais como fossa-filtro.

“São estipulados no plano, várias metas que o município vai ter que cumprir até o ano de 2033. Para que isso aconteça avaliamos, por exemplo, de que forma o município vai trabalhar o esgotamento sanitário. Ele vai trabalhar com rede, sistemas de tratamento de esgoto no lote, sistemas individuais como fossa-filtro? Então nós montamos toda essa lógica, estipulamos diversos cenários que foram estudados e vamos mostrar o cenário que foi escolhido para o município que se torna o mais adequado”, detalha.

Ações futuras

A abordagem financeira também é um ponto crucial, sendo discutidos os montantes tarifários estudados e o planejamento financeiro para concretizar as ações necessárias. O evento visa não apenas cumprir as exigências legais, mas também equipar o município com as ferramentas necessárias para buscar financiamentos e planejar ações futuras.
“Vamos descrever todo esse trabalho, desde o diagnóstico até as metas tarifárias. O município, com esse plano, estará legalmente adequado, terá planejamento para financiamentos e, acima de tudo, terá as ferramentas para uma gestão municipal eficaz”, salienta.

Leia a página 04 completa na edição desta quarta-feira, dia 29, do jornal impresso Tribuna de Notícias. Ligue para 48 3478-2900 e garanta sua assinatura.

Últimas