28.8 C
Criciúma
quarta-feira, fevereiro 28, 2024

Ex-prefeito de Capivari de Baixo é solto com medidas cautelares

Preso na segunda fase da Operação Mensageiro, Vicente Corrêa Costa (PL) foi solto nesta segunda-feira, dia 24

O ex-prefeito de Capivari de Baixo, Vicente Corrêa Costa (PL), preso na segunda fase da Operação Mensageiro, foi solto nesta segunda-feira, dia 24. Ele renunciou ao mandato há uma semana, no dia 17 de julho.

A informações foi obtida com exclusividade pelo repórter da NDTV, Felipe Kreusch. O despacho assinado pelo juiz Guilherme Mattei Borsoi determina a soltura mediante medidas cautelares. São elas:

  • Obrigatoriedade de ele comparecer em juízo para justificar atividades;
  • Proibição de acesso e frequência à Prefeitura Municipal de Capivai de Baixo, secretaria e/ou autarquias, bem como de manter contato com qualquer testemunha de acusação ou colaborador premiado da ação penal ou de procedimentos conexos da Operação Mensageiro;
  • Proibição de ausentar-se da Comarca por mais de sete dias sem autorizção do juízo, bem de mudar de endereço, sem comunicação ao juízo.

O político foi preso em 2 de fevereiro deste ano, suspeito de participar do esquema de fraudes e corrupção em contratos de coleta e destinação de lixo.

O processo foi enviado à primeira instância e o juiz determinou a soltura, alegando que agora o político não pode retornar ao cargo.

Segundo a defesa de Corrêa Costa, ele deve sair da prisão ainda nesta segunda. O juiz já marcou uma nova audiência no dia 18 de setembro, quando serão interrogados os acusados no processo.

Renúncia de mandato

A renúncia ao mandato do agora ex-prefeito foi formalizada rem uma sessão na Câmara de Vereadores de Capivari de Baixo. Antes da decisão, um processo de impeachment tramitava no plenário contra ele.

“Sinto-me uma figura fantasmagórica, assombrando os legisladores e ao paço municipal. Posto isto, diante do atual cenário, para o restabelecimento da ordem, harmonia e equilíbrio, renuncio”, diz o documento assinado por Corrêa Costa.

De acordo com a Câmara, pela Lei da Ficha Limpa o ex-prefeito fica inelegível por oito anos.

*Via ND+

Últimas