11.4 C
Criciúma
terça-feira, junho 25, 2024

A revolução das mães maduras: amor com homens mais jovens

Uma pesquisa revela um aumento de mais de 47% em mulheres mais maduras e experientes que após terem os filhos criados e se divorciarem, começam a reconstruir sua vida amorosa. Muitas delas, aquelas de vanguarda, optam por fazê-lo com homens mais jovens, justamente por terem menos bagagem e vitalidade sem igual. O especialista em relacionamentos do site MeuPatrocínio, Caio Bittencourt, conta que, essas mulheres empoderadas e bem-sucedidas, as “Sugar Mommies” vêm cada vez mais procurando o site para achar a felicidade e curtir momentos inesquecíveis, e algumas até engatar de vez em um relacionamento duradouro.

“Embora essa tendência possa parecer recente, inclusive ganhando holofotes devido ao novo reality da TLC e discovery+, “Mansão das MILFs”, onde mulheres mais experientes são incentivadas a se relacionar com homens mais jovens, não é algo raro de se ver já faz algum tempo. A sociedade tem cada vez mais normalizado esse estilo de vida, chamado de relacionamento Sugar, onde geralmente uma pessoa mais madura e experiente, se relaciona com um parceiro mais jovem, por saber que o relacionamento será mais leve, livre e que vai trazer aquela merecida autoestima as mulheres”, afirma Caio Bittencourt.

Para entender melhor essa tendência, conversamos com duas usuárias da plataforma MeuPatrocínio. Uma delas, Giovanna S. de 43 anos e mãe de dois filhos, disse que começou a sair com homens mais jovens porque se sentia mais à vontade com eles. “Eu sempre tive a sensação de que homens da minha idade ou mais velhos não esperavam que eventualmente eu fosse até mais bem-sucedida do que eles na minha carreira, e no meu patrimônio acumulado, isso os deixava inseguros. Fora que eu já passei da fase de ter um enteado, e problemas com a ex mulher etc. Quero um homem que não venha com esses tipos de chateações”, disse ela. “Com homens mais jovens, sinto que há menos expectativas em relação a isso, e podemos simplesmente nos divertir juntos, viver de verdade”.

Outra mulher, Helena A. de 49 anos e mãe de um filho, disse que se sente mais confiante com homens mais jovens. “Eu acho que a cultura geralmente coloca uma pressão enorme sobre as mulheres para parecerem jovens e atraentes e tudo bem, amo me cuidar, especialmente depois ter me tornado mãe”, explicou ela. “Sinto que há maior sintonia com homens mais jovens, o frescor e entusiasmo, aquela felicidade que eles têm ao viajar para um lugar legal comigo pela primeira vez, isso não tem preço”.

O importante é que as pessoas se sintam livres para buscar relacionamentos com aqueles que as fazem felizes, independentemente da idade ou gênero. E, para aqueles que ainda têm preconceitos em relação a essas relações, talvez seja hora de olhar para além dos estereótipos e se concentrar no que realmente importa: a felicidade e o bem-estar das pessoas envolvidas.

Últimas