Quarteto investigado pela Polícia Civil são condenados em operação

A investigação através da Delegacia de Polícia de Urussanga teve duas fases

Foto: Polícia Civil

- PUBLICIDADE -

Após a investigação do caso, a Comarca de Urussanga realizou no início da tarde desta quinta-feira, 4, a condenação do quarteto envolvido em crimes de tráfico e associação para o tráfico. A penas somadas que chegam a quase 40 anos de prisão. A investigação teve duas fases.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Primeira Fase da investigação

A Polícia Civil, através da Delegacia de Polícia de Urussanga, desencadeou a Operação Conexão Bahia na manhã do dia 6 de outubro de 2021. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Urussanga e em um Criciúma. A investigação apurou crimes de tráfico e associação para o tráfico de G. G. dos S., de 30 anos.

Segundo a Polícia Civil, desde que chegou da Bahia, o investigado começou o tráfico na região. A Investigação, iniciada em abril, mas já com informações passadas, apontou ele como distribuidor de drogas em nossa região. Um dos funcionários de G. G. dos S., um menor de 17 anos, foi flagrado na posse de cocaína e maconha durante o cumprimento das medidas judiciais. Também foi apreendida maconha na casa de outro investigado do caso.

Segunda fase da investigação

Concluído o inquérito policial, identificou-se que além do primeiro investigado G. G. dos S. e o menor de 17 anos, participavam do grupo mais três maiores.

Diante disso, foram decretadas as prisões preventivas destes três maiores e convertida a prisão temporária de G. G. dos S. (O primeiro investigado) em preventiva, as quais foram executadas na tarde do dia 2 de dezembro de 2021.

Depois da investigação

Após a investigação do caso, a Comarca de Urussanga realizou no início da tarde desta quinta-feira, 4, a condenação do quarteto envolvido em crimes de tráfico e associação para o tráfico.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.