Polícia Civil finaliza investigação de esfaqueamento na Próspera

Divulgação Polícia Civil

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Em menos de 40 horas, a Polícia Civil concluiu a investigação para apurar o crime que lesionou com faca uma adolescente na região da Próspera, em Criciúma, na madrugada de terça-feira, dia 11. De acordo com o delegado Yuri Miqueluzzi, responsável pelo caso, houve indiciamento e representação pela prisão preventiva do investigado, sendo encaminhada para análise do Poder Judiciário. A apuração foi realizada pela Divisão de Repressão a Roubos (DRR), da Divisão de Investigação Criminal (DIC), coordenada pelo Delegado Yuri Miqueluzzi.

- PUBLICIDADE -

O esfaqueamento

O crime ocorreu na madrugada, no bairro Pio Corrêa. A vítima estava em frente a um edifício residencial. O autor chegou em um veículo e questionou se a adolescente havia solicitado corrida de aplicativo. Diante da negativa, ele recuou.

Contudo, voltou em seguida, empunhando uma faca. A vítima estava com aparelho celular nas mãos e tentou se desvencilhar, sendo lesionada no braço. O autor fugiu. A adolescente foi atendida e encaminhada ao hospital, sem riscos de morte.

Equipes da Polícia Civil e Polícia Militar estiveram no local, sendo iniciada a coleta de informações preliminares. “O inquérito foi instruído com os elementos necessários para indicação de autoria. As imagens de câmeras de monitoramento em conjunto com outras técnicas auxiliaram nas investigações”, declara Miqueluzzi.

O investigado, de 47 anos, possui histórico policial por outros delitos patrimoniais violentos, inclusive roubos, estando em liberdade provisória. Ele foi indiciado por roubo majorado pelo uso de faca e restrição de liberdade da vítima, na modalidade tentada, com pena que pode atingir até dez anos de reclusão.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.