Polícia Civil e Receita Estadual iniciam 3ª fase da Operação Hefesto

As diligências visam apurar de forma técnica possíveis infrações administrativas tributárias em dois estabelecimentos comerciais, uma revenda de gás e uma agropecuária

Foto: divulgação

- PUBLICIDADE -

A Polícia Civil e a Receita Estadual iniciaram nesta terça-feira, 26, a terceira fase da Operação Hefesto, em Morro da Fumaça. No decorrer da investigação de lavagem de dinheiro, se constatou possível prática de sonegação fiscal.

 As diligências da Receita visam apurar de forma técnica possíveis infrações administrativas tributárias em dois estabelecimentos comerciais, uma revenda de gás e uma agropecuária. Estão pendentes de conclusão por parte da PCSC dois inquéritos policiais, um que apura possível uso pecuniário e outro que apura possível lavagem de capitais.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Inicio da investigação

Em 31 de agosto de 2020 foi instaurado inquérito policial para apurar vários crimes que poderiam estar sendo praticados na cidade de Morro da Fumaça por parte de determinado grupo, dentre eles: tráfico de drogas, receptação, furto de gado, crime ambiental, venda de armas, venda de produto veterinário falsificado, venda de produto impróprio para o consumo e organização criminosa, sendo que a partir de maio de 2021 as investigações foram intensificadas.

Da primeira fase da operação Hefesto

No dia 16 de setembro foram cumpridos 9 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão, sendo que, então, a Operação desdobrou-se em mais inquéritos, sendo um (nº 29/2021) referente à prisão em flagrante pelos crimes de venda de produto impróprio para o consumo, crime ambiental e organização criminosa.

Da segunda fase da Operação Hefesto

No dia 05 e 06 de outubro de 2021 sete pessoas foram presas preventivamente por participar de organização criminosa que comercializava carnes impróprias para o consumo, que a perícia da PF concluiu ser de equino.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.