Polícia Civil acredita ter evitado mega assalto na região de Joinville

Polícia Civil apreendeu dinamite, fuzis e veículos blindados em uma operação em Araquari; três homens de São Paulo foram presos em flagrante

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Na manhã desta segunda-feira, 24, a Polícia Civil de Santa Catarina desencadeou uma operação em Araquari, região Norte de Santa Catarina, e apreendeu dinamite, fuzis e veículos blindados. Três homens de São Paulo foram presos em flagrante. A suspeita é que o material seria possivelmente utilizado em um mega assalto na região de Joinville.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

A investigação é da Polícia Civil da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Joinville e ocorreu por volta do meio-dia, em um galpão, em Araquari, nas margens da BR-280. Segundo o delegado de polícia da DIC/PCSC, Murillo Batalha, a suspeita é que se trata de uma organização criminosa que praticaria um roubo na região. “Estávamos monitorando uma quadrilha desde o final de dezembro do ano passado. Pelas informações colhidas e apreensões realizadas, eles iriam fazer uma ação em alguma cidade próxima nos mesmos moldes do crime (assalto a banco) que aconteceu na cidade de Criciúma”, ressaltou o delegado Murillo Batalha.

Foram apreendidos três fuzis, uma pistola, carregadores, farta munição, dezenas de bananas de dinamite, miguelitos, coletes, carregadores e seis veículos de luxo blindados, com placas frias. As investigações prosseguem.

A suspeita é que se trata de uma organização criminosa conhecida como “novo cangaço” e é especializada na explosão de agências bancárias.

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) foi acionada para auxiliar na retirada e manuseio dos explosivos encontrados no galpão.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.