Laudo aponta ação humana no incêndio no teatro em Araranguá

A ocorrência foi registrada no dia 9 de setembro e o Corpo de Bombeiro vinha fazendo as análises para o parecer final

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

O Corpo de Bombeiros de Santa Catarina divulgou nesta quarta-feira, 5, o laudo pericial do incêndio ocorrido no Centro Cultural Professora Célia Belizária de Souza, no Centro de Araranguá, sendo constatado que houve interferência de humano no fato. O local foi atingido pelas chamas no dia 9 de setembro deste ano.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Segundo o laudo, a edificação estava funcionando como depósito de matérias e equipamentos da Escola de Educação Básica de Araranguá, com os sistemas preventivos contra incêndio estando inoperantes, devido a furtos e degradações causadas por pessoas não identificadas que invadiram o local.

A área do auditório e mezanino foi completamente afetada pelas altas temperaturas provenientes das chamas. Foram atingidos os móveis e documentos, sendo as chamas propagadas para outra sala, devido à divisória leve.

Foi considerado como salvos pelos bombeiros, uma fração da edificação composta pelo hall de entrada e salas do 1°pavimento. O ginásio de esporte da escola que fica anexado ao colégio também não sofreu nenhum tipo de danos.

As chamas iniciaram no auditório e na sala do 1° pavimento junto ao auditório, porém separados por paredes de alvenaria, sem interligação por aberturas. Assim foram confirmadas essas áreas como zonas de origens do incêndio.

De acordo com a investigação realizada, concluiu-se que o incêndio teve causa humana direta, sendo intencional ou dolosa, sendo constatado que seria impossível surgir um incêndio no local sem o fornecimento de uma fonte de calor externa, o qual pode ter sido iniciado com um isqueiro ou fósforo, que foi colocado em contato com o combustível, poltrona e papéis no local.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.