Homem é condenado por matar idoso ao dirigir alcoolizado em Criciúma

Réu estava sob efeito de bebida alcoólica quando atingiu o motociclista em cheio, levando-o a óbito

Foto: Divulgação/ TJSC

- PUBLICIDADE -

Homem é condenado a 24 anos de reclusão, denunciado pelo homicídio qualificado de uma vítima, de 67 anos. O Tribunal do Júri atendeu ao Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) em sessão nesta última terça-feira, dia 29, e considerou o réu culpado por ter matado a vítima sem lhe dar chances de defesa e, ainda, por ter exposto outras pessoas a risco quando dirigiu alcoolizado em alta velocidade e atropelou o idoso em uma via movimentada.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O autor foi responsável pela morte do idoso, na avenida Santos Dumont, em Criciúma, em 16 de abril de 2016. Por volta das 4h30, o réu voltava de uma festa quando atropelou e matou a vítima, que se dirigia, em uma motocicleta, para o trabalho. Conforme a sustentação do Promotor de Justiça Diego Henrique Siqueira Ferreira, o autor havia ingerido bebida alcoólica e fugiu do local do crime sem prestar socorro à vítima.

A forma como o denunciado conduzia o veículo, sob influência de álcool, em altíssima velocidade e em avenida de grande circulação na região central da cidade, demonstra que o crime foi praticado utilizando-se de meio que resultou perigo comum a todos os residentes e transeuntes que se encontravam no trajeto percorrido pelo denunciado, e em especial aos caroneiros que estavam no carro no momento do acidente e que, por diversas vezes, pediram para que ele parasse, alegou o Promotor de Justiça.

Ainda conforme o Promotor, o crime foi praticado com recurso que tornou impossível a defesa do idoso, uma vez que a vítima foi surpreendida com a colisão do automóvel do réu em altíssima velocidade contra sua motocicleta, jamais podendo imaginar que um automóvel o atingiria naquelas circunstâncias: na parte traseira de sua motocicleta e após duas lombadas existentes no local.

Crime praticado durante prisão domiciliar

O réu cumpria pena por tráfico de drogas no Presídio Regional de Tubarão. Quatro meses antes do acidente, porém, o autor passou a cumprir a pena em prisão domiciliar, quando se envolveu no homicídio. O homem estava em uma festa com outras quatro pessoas e, no retorno para casa, antes da colisão fatal, atingiu com seu carro outro veículo, na mesma avenida, e fugiu do local. Na sequência, pulou duas lombadas, perdendo o controle do veículo devido à velocidade, e bateu na traseira da moto da vítima. O idoso morreu no local, por um traumatismo craniano.

O vigilante de um cemitério próximo ao local do acidente foi quem presenciou o fato e acionou a polícia. Conforme a testemunha, o réu e os outros quatro ocupantes do carro, logo após a colisão, fugiram a pé. Instantes depois, o homem chegou a voltar e tentar ligar o veículo, mas não conseguiu e fugiu novamente.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC – Correspondente Regional em Criciúma

Foto: Divulgação
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.