Decretada situação de emergência em Forquilhinha devido às chuvas

Os dados atualizados apontam cerca de 500 pessoas atingidas, sendo 126 desabrigadas e encaminhadas para a Escola de Educação Básica José Aléssio e 338 desalojadas e que foram para casas de familiares

Fotos: Divulgação

- PUBLICIDADE -

O prefeito de Forquilhinha José Cláudio Gonçalves, o Neguinho assinou nesta tarde quinta-feira, 11, o Decreto nº 335 que estabelece situação de Emergência no município devido às chuvas. A decisão foi tomada com base nos relatórios preliminares e informações sobre a quantidade de chuva, prejuízos e número de pessoas afetadas com os eventos adversos e que estão sendo repassadas pela Defesa Civil Municipal após uma reunião no Paço Municipal.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Os dados atualizados apontam cerca de 500 pessoas atingidas, sendo 126 desabrigadas e encaminhadas para a Escola de Educação Básica José Aléssio e 338 desalojadas e que foram para casas de familiares.

“Nossa prioridade é a proteção das pessoas. Estamos com uma equipe de voluntários na escola da Cidade Alta que fazem a alimentação para os desabrigados. Uma situação muito triste. Para se ter uma ideia do volume de água que caiu em nossa cidade em um período de 24 horas, do dia 9 até o dia 10 de agosto, foram superiores a 150mm de chuva, ou seja, muita água em um curto espaço de tempo”, comenta o prefeito Neguinho.

O Decreto de situação de Emergência autoriza a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução.

“O decreto faz com que o município tenha mais facilidade e celeridade para fazer a gestão do desastre e melhorar o atendimento à população afetada. Um evento muito forte, uma quantidade enorme de chuva e que chegou pontualmente em 24 horas superior a 150mm. É lamentável que o município em menos de três meses tenha que fazer um novo decreto, porém, nós já conseguimos concluir a homologação e o reconhecimento no Governo Federal e montar o plano de trabalho para investimento em obras públicas. O novo decreto é essencial para buscarmos novas respostas à situação, é um novo processo que se inicia em Forquilhinha”, afirmou o coordenador regional da Defesa Civil, Rosinei da Silveira.

O coordenador da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, Alex Sander Merencio, ressalta o trabalho feito pelas equipes na coleta de dados nos bairros e comunidades do interior. “Nós estamos mobilizados para ajudar e amenizar a dor das pessoas nos bairros percorrendo as ruas afetadas nesta enchente, que é a maior dos últimos anos”.

Limpeza das residências

Menos de 24 horas depois de deixarem as residências em virtude da cheia do Rio Sangão, moradores do bairro Cidade Alta retornaram para limpar. Lourdes Hoffmann, 60 anos, moradora há mais de 40 anos, nunca viu tanta água. “Minhas irmãs vieram me ajudar a limpar. Não consegui levar todos os móveis, o rio subiu muito rápido, somente a geladeira, freezer e colchões”.

Dona Marise Amorim também teve a residência atingida pelas cheias. “Hoje é dia de limpar, estou contando com a ajuda da minha filha e meu genro, que moram no Sangão e também perderam tudo”.

O mesmo cenário aconteceu em outros bairros como Ouro Negro, Nova York, Vila Franca e em comunidades do interior.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.