Criciúma: Operação Libertas apura condições de trabalho de travestis

Seis vítimas foram resgatadas até o momento

Foto: Arquivo/TN

- PUBLICIDADE -

Com o objetivo de apurar as condições de trabalho de mulheres transexuais e travestis, a Operação Libertas foi deflagrada nesta segunda-feira, 21, em Criciúma. A ação também tem o intuito de identificar eventual ocorrência de escravidão contemporânea e de tráfico de pessoas, responsabilizando os autores desses delitos e resgatando suas vítimas. Seis vítimas foram resgatadas até o momento.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

O MPT e a PRF inspecionaram os locais nos bairros Rio Maina e Grande Própera utilizados como alojamentos por mulheres transexuais e travestis que trabalham como profissionais do sexo, uma atividade lícita no Brasil, reconhecida formalmente pela Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho e Previdência.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.