TSE recebeu mais de 11 mil denúncias de propaganda eleitoral irregular

Órgão está recebendo denúncias pelo aplicativo Pardal desde o dia 16 de agosto, quando foi iniciada a propaganda eleitoral

FOTO: TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL - 05.10.2014

- PUBLICIDADE -

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já recebeu 11.412 denúncias de propaganda eleitoral irregular desde o dia 16 de agosto, quando foi iniciada a propaganda eleitoral. O número equivale a uma média de 393 queixas por dia.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

As denúncias são recebidas pelo aplicativo Pardal, criado pelo tribunal em 2014 e que tem como finalidade receber denúncias sobre compra de votos, abuso de poder econômico e político, uso da máquina pública para fins eleitorais e uso indevido dos meios de comunicação social.

O estado com mais denúncias é Pernambuco, com 1.619, seguido por São Paulo, com 1.390, e Minas Gerais, com 1.239. Em relação aos cargos, a maior parte das queixas envolve campanha de deputado estadual, seguidas pelas campanhas de deputado federal, presidente e governador.

Nas eleições de 2018, o aplicativo recebeu 48.673 denúncias. Desse total, 52% eram sobre propaganda irregular e 23% sobre crimes eleitorais. A apuração dessas irregularidades compete ao Ministério Público Eleitoral (MPE). O Pardal pode ser baixado gratuitamente em celulares e tablets ou acessado por meio de um formulário disponível na internet.

A Justiça Eleitoral define o que pode e o que não pode durante a campanha eleitoral. Não é permitido, por exemplo, o funcionamento de alto-falantes e amplificadores de som a uma distância inferior a 200 metros das sedes dos poderes Executivo e Legislativo; de bibliotecas, escolas, hospitais, dentre outros locais. Também não é permitida a realização de showmícios para promover candidatos.

*Via R7

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.